BATE-BOLA

Voltar | imprimir

27/10/2012

BATE-BOLA

Fabiel Palmieri dos Santos Rogério

Idade: 24

Profissão: Auxiliar de balcão

Filiação: Paulo Donizete Rogério e Dalva Palmieri dos Santos

Esposa: Liliane Felício Luis Rogério

Filho: Raphael Palmieri Luis Rogério

Onde nasceu: Ituverava



Com o aumento da perspectiva de vida do brasileiro, qual a sua opinião sobre a importância da pratica esportiva na 3º idade?

É fundamental para o bem-estar e para a saúde. Nesta fase da vida é importante praticar esporte para manter a disposição física e mental.

Já jogou futebol? Qual a posição?

Sempre que posso gosto de “bater minha bolinha”. Jogo no gol, onde realizo lindas defesas, pois tenho como exemplo o goleiro artilheiro, e ídolo tricolor, o magistral Rogério Ceni.

Para qual time você torce? Por quê?

Depois de falar sobre meu ídolo e exemplo, ficou fácil adivinhar. Sou Tricolor do Morumbi, o melhor time brasileiro de todos os tempos, pois nossos títulos comprovam. Tenho muito orgulho de torcer pelo São Paulo, pois sempre tive a influência de meu pai e do meu padrinho, que são fanáticos pelo São Paulo.

Para qual time você jamais torceria? Dê três motivos. E para qual torceria em segundo lugar?

Eu jamais torceria pelos Gambás, não só eu, mas todas as torcidas são contra o Corinthians, e todos querem que eles se “estrepem”, pois o corintiano é muito chato. Isso já motivo suficiente.

Qual foi o melhor jogador que já atuou pelo seu time e qual a melhor formação de todos os tempos? Descreva um momento inesquecível da sua equipe.

Tenho a lembranças de vários craques, pois pelo Tricolor sempre passaram bons jogadores, e posso citar Kaká, Lucas, Rogério Ceni, entre outros. Mas o maior de todos foi o Raí, ele foi o herói da conquista do Mundial de 92, nosso primeiro título mundial, quando teve uma atuação soberba com dois lindos gols. Essa também foi a melhor equipe do São Paulo de todos os tempos: Zetti; Vítor, Adílson, Ronaldão e Ronaldo Luís; Pintado, Toninho Cerezo, Raí (capitão) e Cafu; Palhinha e Müller, e o super-técnico era Telê Santana. O momento inesquecível foi o centésimo gol de Rogério Ceni, e não podia ser diferente, em cima do Corinthians, para desgraça dos Gambás, que vão lembrar pelo resto da vida esse feito.

No Brasileirão deste ano grandes equipes como Flamengo, Santos e Palmeiras não estão bem na competição. Você acredita que eles podem se recuperar?

Flamengo e Santos não correm perigo, mas o “Lanterna Verde” ou Palmeiras vai cair para a Série B. Como bons meninos, eles vão dar muita alegria para os torcedores da região de Ribeirão Preto (risos).

Qual sua expectativa, quanto ao desempenho do seu time no brasileirão 2012?

São muito boas, acho que não temos mais chances de títulos, mas vamos ficar no G4, e mostrar para os outros times brasileiros como se joga uma Libertadores da América.

De o palpite da rodada deste final de semana: Sábado, 27 de outubro: Corinthians 1 x 1 Vasco; Internacional 2 x 0 Palmeiras; Botafogo 1 x 0 Atlético GO; Figueirense 1 x 3 Portuguesa; Sport 0 x 2 São Paulo; Bahia 0 x 2 Grêmio. Quarta-feira, dia 31 de outubro: Atlético MG 1 x 0 Flamengo.

Além do futebol, qual outra modalidade esportiva você gosta e por quê?

Sou fã de vôlei por ser o segundo esporte nacional, e que vem crescendo a cada ano.

Você acredita que o vôlei está crescendo, ao ponto de se tornar o grande esporte nacional, assim como o futebol? Por quê?

Sou fã do esporte, mas superar o futebol é muito difícil, pois essa é a paixão nacional.

Cite o nome completo de três (ou no máximo cinco) torcedores de outros times e mande um recado para eles.

Ulisses Rogério Lopes, santista: meu amigo, agora bateu a dúvida, o que é mais feio: seu cabelo ou seu time? Ó dúvida cruel! (risos).

Edilson Rogério Lopes, corintiano: meu amigo, este ano o Chelsea vai dar uma aula de futebol para vocês, pois ser campeão no Japão é para poucos. Aconselho vocês fazerem estágio com o Tricolor do Morumbi.

Jefferson Palmieri dos Santos Rogério e Luiz Carlos Mariano (“Dulé”): sofredores palmeirenses: amigos, não fiquem tristes, pois todos precisam de uma “segunda” chance, e como essa será a “segunda” vez que vocês vão disputar a “segundona”, terão a oportunidade de ser bicampeões da “Série B” do Brasileiro. Isso é para poucos, portanto, acho que devem ficar muito felizes (risos).

Voltar | Indique para um amigo | imprimir