ENQUETES

Voltar | Indique para um amigo | imprimir

25/10/2008

POPULAÇÃO DE ITUVERAVA CRESCE E CHEGA A 40.485

Vista aérea da cidade de Ituverava, que possui 40.485 habitantes, segundo o IBGE

População atribui crescimento demográfico às melhores oportunidades de vida que Ituverava tem oferecido

O IBGE registrou, de acordo com a contagem divulgada no mês de julho, o crescimento da população de Ituverava, que chegou a 40.485 habitantes, com um crescimento de 6,82%, em relação ao Censo de 2006, que era de 37,9 mil pessoas.

Em dois anos, a cidade contabilizou um crescimento de 2.485 habitantes, o que comprova o bom momento que a cidade está passando. É bom lembrar que o número de habitantes é um dos indicadores do crescimento de um município.



O desenvolvimento da cidade também se deve a outros fatores, como a mudança do perfil econômico, que sempre teve como base o agronegócio com a produção de soja, milho, algodão, dando lugar à cana-de-açúcar. Hoje, a melhoria dos serviços oferecidos em áreas importantes como Educação, Saúde, comércio e prestação de serviços, alavancam o crescimento da cidade.

Mas o excepcional momento de desenvolvimento ainda é mais auspicioso, com a expectativa da instalação do Ambulatório de Especialidades Médicas (AME), que será uma das maiores conquista de Ituverava dos últimos tempos e, que atenderá cerca de 250 habitantes da região, com 600 consultas diárias e 25 mil exames por mês.

Outro fator que pode impulsionar ainda mais o desenvolvimento do município é a construção do Santuário de Nossa Senhora da Aparecida, no Alto da Estação, que deve fomentar o turismo religioso na cidade.

Mas as boas perspectivas não param aí. Para o ano de 2009, a DVA Brasil – braço do grupo alemão DVA, que tem investimentos em infra-estrutura em pesquisa, desenvolvimento, produção e distribuição de defensivos agrícolas e saúde animal vai investir US$ 50 milhões em um complexo industrial em Ituverava, para a fabricação de produtos destas áreas, que gerará centenas de empregos.

Também não se pode deixar de citar as obras da Estação de Tratamento de Esgoto, que estão em fase final e, que vão despoluir o Rio do Carmo, oferecendo condições para novas empresas se instalarem na cidade. “Com o aumento da população, a cidade passa receber mais verbas dos governos Estadual e Federal, que são aplicadas em programas nas áreas de Saúde e Educação”, explica o prefeito Mário Takayoshi Matsubara.

Segundo ele, o crescimento da população é indicador muito importante. “Vamos trabalhar este crescimento para potenciá-lo e revertê-lo em desenvolvimento para o município, que deve ser incrementado”, concluiu.

Os doze moradores de Ituverava entrevistados pela Tribuna, nesta semana, atribuem o crescimento demográfico às melhores oportunidades oferecidas pelo município.

Clique aqui e veja os entrevistados

Brasil chega a 190 milhões de habitantes

O Brasil atingiu uma população de exatos 190.000.000 de habitantes. Os dados são do “relógio” do site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que usa um cálculo idêntico ao que a Organização das Nações Unidas (ONU) utiliza para determinar a população mundial.

De acordo com o cálculo do instituto, a cada manhã nascem 1.600 brasileiros. Até o fechamento desta edição, ocorrido ontem, sexta-feira, às 16h, o relógio do IBGE já apontava população de 190.092.170.

Os números do IBGE mostram o salto da população brasileira. Em 1970, éramos 93,1 milhões, em 1980, foi para 119 milhões, 146,8 milhões em 1991 e 169,7 milhões em 2000. Ao final de 2007, o IBGE contabilizava 183,9 milhões de habitantes, e, neste mês de outubro 190.000.000, o que significa seis milhões a mais apenas de janeiro para cá.

Com a taxa de fecundidade média dos brasileiros de 1,9 filho por casal, abaixo do mínimo para que exista reposição da população, o crescimento populacional do país deve desacelerar, e chegar a 219 milhões de pessoas em 2020 e, passando em 2040, para 251,4 milhões de habitantes. O Instituto prevê que dez anos depois (2050), a população deve ser de 259,7 milhões.

Como se nota, de 2008 a 2050, a população deve crescer em 69.700.000 de pessoas, ou seja, 36.31%, em 42 anos, contra um crescimento de 59,66%, dos últimos 28 anos, ou seja, em 1980 a população era 119.000.000 de habitantes e, em 2008, são 190.000.000 de pessoas.

Mais e menos populosos

Segundo o levantamento, dos 5.565 municípios brasileiros, São Paulo é o mais populoso, com 10,9 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,1 milhões) e Salvador (BA), com 2,9 milhões.



Belo Horizonte (MG) com 2,43 milhões, que estava em quarto lugar em 2000, caiu para sexto em 2008, foi ultrapassado pelo Distrito Federal, que chegou a 2,5 milhões de habitantes. Já Fortaleza (CE) manteve sua posição no quinto lugar, com 2,47 milhões.

Estimativas populacionais do IBGE de 2008 apontam que dois municípios paulistas, Guarulhos (1,28 milhão de habitantes) e Campinas (1,06 milhão) estão no topo da lista dos 10 municípios mais populosos do país que não são capitais de estado. Os dois municípios mantiveram a posição de 2000.

No terceiro e quarto lugares da lista estão os municípios fluminenses de São Gonçalo (982,8 mil) e Duque de Caxias (864,2 mil). Em quinto ficou a também cidade fluminense de Nova Iguaçu, com 855,5 mil habitantes.

Borá (SP) continua sendo o menor município do país, com população estimada em 834 habitantes, 39 a mais que em 2000. Do “seleto grupo” dos cinco municípios brasileiros com menos de mil habitantes em 2000, somente Borá e Serra da Saudade (com 889 habitantes) continuam nessa posição em 2008.

O cálculo
A divulgação de estimativas populacionais do IBGE é feita anualmente e obedece à Lei complementar nº 59, de 22 de dezembro de 1988, assim como ao artigo 102 da Lei nº 8443, de 16 de julho de 1992.



Segundo explica o documento de divulgação do instituto, as estimativas populacionais, fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários, servem também como parâmetro para a distribuição de quotas relativas ao Fundo de Participação de Estados e Municípios, de acordo com o dispositivo constitucional.

Brasil terá 220 milhões de pessoas em 30 anos

A população brasileira deixará de crescer ao final dos próximos 30 anos, quando o País deverá ter em torno de 220 milhões de pessoas. A estimativa foi feita pelo coordenador de População e Indicadores Sociais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Luiz Antônio Pinto de Oliveira. De acordo com ele, isso deve acontecer porque a taxa atual de crescimento da população está em torno de 1,2% e 1,3%, mas a taxa de fecundidade tem recuado expressivamente.

“Ao final de 30 anos, a população brasileira deixará de crescer. Essa é uma expectativa que o IBGE tem para os próximos anos. A taxa de crescimento vai ficar cada vez menor, aproximando-se de um índice de estabilidade parecida com a dos anos 40 desse século”, afirmou Oliveira.

O diretor afirmou que quando o País alcançar 220 milhões de habitantes a taxa de filhos por mulher vai ser por volta de 1,5, sendo que atualmente essa relação é de 1,9 filhos por mulher. “A experiência internacional é que é muito difícil haver um crescimento após isso. Acomoda os valores culturais, econômicos e a população pára efetivamente de crescer. Mas no Brasil isso vai demorar ainda mais de 30 anos”, afirmou Oliveira.



De acordo com ele, a população de metrópoles como São Paulo e Rio pode até diminuir em 20 anos, pois já tem taxas de fecundidade baixas e população está mais idosa. Em contrapartida, Brasília deverá crescer. “Brasília vai continuar crescendo, tem espaço para crescer e ela vai chegar em 10 ou 15 anos, como a terceira cidade do país em termos demográficos”, afirmou Oliveira.

Voltar | Indique para um amigo | imprimir