Ações Solidárias se destacam em meio à pandemia

Em meio às dificuldades causadas pelo coronavírus, voluntários se mobilizam para proteger quem vive em situação de vulnerabilidade

Grupo filantrópico “Mãos Dadas” realiza a entrega de alimentos

A pandemia causada pelo novo coronavírus colocou toda a sociedade em um cenário de apreensão e dúvidas. Para combater o Covid-19 e a redução da velocidade de propagação do vírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) mantém sua posição sobre a importância do distanciamento social e, assim, evitar que o alto grau de contaminação da doença gere um colapso no sistema de saúde.
Após a adoção das medidas de isolamento, muitas pessoas se viram sem ter como levar ‘o pão de cada dia’ para casa. E, em meio a esse cenário trágico, nascem histórias de solidariedade, um valor humano que mantém a sociedade unida pelo senso de colaboração.
Campanha “Pandemia de amor: Não espalhe vírus
Um exemplo de amor ao próximo é a campanha “Pandemia de amor: Não espalhe vírus. Espalhe Solidariedade”, promovida pelo grupo filantrópico “Mãos Dadas”, cuja proposta é resgatar a solidariedade de cada cidadão.
“As pessoas precisam começar a pensar no próximo, como em si mesmo, devem realizar o compartilhando de alimentos, carinho e solidariedade e ter a consciência que ninguém consegue ser feliz sozinho. Nesse momento, muitas famílias só terão o que comer se pessoas com condições financeiras mais favoráveis se dispuserem a ajudar”, destacam os voluntários.
A campanha, que mobiliza mais de cem voluntários, consiste na arrecadação de alimentos para serem distribuídos às famílias carentes do município. “Nosso foco é dar pão a quem tem fome e justiça a quem tem pão”, enfatizam. “Entre os principais mantimentos que arrecadamos estão arroz, feijão, óleo, fubá, sal, macarrão, molho de tomate, café, açúcar, leite, além de itens de higiene, indispensáveis ao ser humano, como sabonete, pasta dental, papel higiênico”.
“Esporadicamente, sempre que necessário, também organizamos campanhas específicas, por exemplo, quando alguma família precisa de gás. Dessa forma, tentamos contribuir de acordo com as necessidades das famílias e conforme os pedidos vão surgindo”, observam.
Parceiros
Além do apoio dos voluntários, o grupo também conta com a parceria de simpatizantes e parceiros. “São pessoas que já conhecem o trabalho social desenvolvido pelo grupo e estão sempre empenhadas em ajudar e contribuir com os mais necessitados. É muito importante ressaltar que é imprescindível a ajuda de todos, pois sozinho o grupo não conseguiria alcançar seu objetivo”, destacam.
Apoio da sociedade
Graças ao gesto solidário, muitas famílias em vulnerabilidade social continuarão tendo condições de colocar comida em suas mesas durante a pandemia de coronavírus. Entretanto, o número de beneficiados está condicionado aos bons resultados da campanha.
“É muito importante que a sociedade contribua e estimule o espírito de solidariedade. É o momento em que todos precisamos ter compaixão pelo próximo, e é o que esperamos da sociedade ituveravense, que é sempre tão solícita”, declaram.
“A fome e a necessidade das famílias carentes sempre existiram. E, nesse momento tão delicado, torna-se ainda mais complicado, pois, além da paralização do trabalho, há a preocupação do isolamento e do medo de contaminação. Assim, as pessoas em situação de vulnerabilidade ficam ainda mais esquecidas. Daí se justifica a importância desse trabalho solidário”, observam as voluntárias.

Solidariedade pode ajudar a amenizar impactos da pandemia

Nesse momento que ninguém deve pegar na mão de alguém, o grupo destaca que mesmo, de longe, é muito importante que as pessoas se ajudem, tendo em vista que a solidariedade pode contribuir para amenizar os impactos causados pelo coronavírus.
“As mãos precisam ser bem lavadas para não espalharmos o vírus, mas devem continuar estendidas para ajudarmos quem precisa. É um gesto muito simples, basta ter empatia e se colocar no lugar do outro. Nesse momento, o egoísmo é um sentimento que deve ser limado das nossas vidas”.
“Além das famílias carentes, há também a preocupação com todos aqueles que desenvolvem um trabalho informal, que sempre trabalharam e pagaram suas contas em dia, mas que não tiveram condições de fazer uma reserva para uma situação com essa dimensão”, preocupam-se.

Colaboração
“Para que muitos possam sobreviver a esses tempos difíceis, só mesmo com a colaboração de todos. Você precisa se cuidar por mim, e eu, por você. Desta maneira, Deus cuidará de todos nós”, completam os voluntários.

Doações

Devido à quarentena, o grupo Mãos Dadas informa que aqueles que desejam fazer uma doação, podem levar ou pedir para que os mantimentos sejam entregues na sede grupo, à Rua Dr. João Contart Filho, nº 68, ou por meio de depósito em conta: Banco do Brasil – Agência: 0156-2 variação 51 – Conta-Poupança: 29.885-9 – Titular: Mariana F de Freitas Rezende.