Atletas ituveravenses conseguem ótimas colocações na Copa Matsumi de Karatê

A Soteiju – Associação Técnica Ituveravense de Judô, com aulas ministradas pelo sensei Luiz Gabriel Furlan Correa, brilhou na Copa Matsumi de Karatê, campeonato oficial da FKP (Federação de Karatê Paulista). O evento foi disputado dia 10 de novembro, em São José do Rio Preto, e reuniu 452 atletas.
Quatro alunos da academia “Soteiju, fundada pelo Sensei Paulo Augusto Chereguini conquistaram ótimas colocações. Luiz Carlos Corrêa, 58 anos, faixa branca – 3º colocado na categoria Máster acima de 40 anos. Gustavo dos Santos Garcia Paes, 18 anos, faixa amarela – 3º colocado na categoria Adulto 18 a 39 anos. Willian Nogueira Chaibub, 32 anos, faixa branca – 6º colocado na categoria Adulto 18 a 39 anos. Francisco Caetano Bernardes, 32 anos, que trabalha no Banco do Brasil, faixa branca – 8º colocado na categoria Adulto 18 a 39 anos.
Segundo o Sensei Luiz Gabriel Furlan Correa, professor da Academia, o desempenho dos atletas foi acima do esperado. “Levar essa turma para o primeiro campeonato trouxe muita ansiedade, que eu nunca tive como atleta. O destino me surpreendeu quando colocou na primeira luta o atleta Luiz Carlos Correa, que antes de tudo é o meu pai, e me presenteou com a primeira medalha. Eu não consigo descrever o meu sentimento de alegria. Aproveito a oportunidade também para parabenizar todos os atletas, além da conquista de medalhas, houve muita união, um torcendo pelo outro, isso é o Karatê”, afirma Luiz Gabriel.

Atletas
“Eu comecei no karatê para prestigiar o trabalho do meu filho e, com as aulas, passei a gostar cada vez mais da modalidade. Quando ele me chamou para o campeonato, pensei que estava com brincadeira, pois com 58 anos nunca me imaginei indo disputar uma competição, mas aceitei o convite. Perdi a primeira luta, mas com muita garra consegui vitória na segunda. Aprendi que no karatê a idade não é empecilho, o importante é treinar muito e com dedicação”. Luiz Carlos Correa, 58 anos

“Entre tantos esportes, o Karatê me conquistou desde o primeiro contato, digamos que foi paixão à primeira vista. Karatê é muito mais que apenas uma arte marcial, é disciplina, união, amor e respeito ao próximo. No campeonato, conquistei uma segunda família e, a certeza de que estou onde deveria estar, é mais que um privilégio ter essas pessoas do meu lado”. Gustavo dos Santos Garcia Paes,18 anos

“Antes de começar no Karatê eu estava muito desmotivado, e a pratica do esporte voltou a me trazer disposição. Fiz novos amigos e estou cada vez mais motivado. Nessa primeira competição, mesmo não conseguindo medalha, aprendi muito e pretendo competir cada vez mais”. Willian Nogueira Chaibub, 32 anos

“Quando era pequeno tive a oportunidade de fazer Karatê quando morava fora. Hoje, tenho a oportunidade de voltar a praticar a arte marcial que sempre admirei graças ao Sensei Biel. E participar deste campeonato foi uma experiência maravilhosa e surpreendente, pois apesar do pouco tempo que todos tivemos, nossa equipe conseguiu um ótimo resultado e desempenho na competição”. Francisco Caetano Bernardes, 32 anos  

Modalidade

Karatê é uma palavra japonesa que significa “mãos vazias”. É uma arte marcial japonesa e método de ataque e defesa pessoal que inclui diversas técnicas executadas com as mãos desarmadas. O método de defesa pessoal é possivelmente originário da China, mas se desenvolveu e evoluiu no Japão, na província de Okinawa, com base em uma luta já existente na época. No Japão também se acrescentou a partícula “do” (karate-do), que significa “caminho”, para valorizar os aspectos filosóficos e físicos, cujas técnicas visam disciplinar o corpo e a mente.
Os praticantes de karatê são denominados “caratecas”. Nas lutas, eles só podem usar as armas de combates naturais, ou seja, o próprio corpo (mãos, braços, pés, pernas, etc.), incluindo os bons reflexos de visão a inteligência.
O nível atingido por cada carateca é classificado pelo sistema de faixas coloridas, na seguinte ordem: branca, amarela, vermelha, laranja, verde, roxa, marrom. A faixa branca é indicativa de principiante. A faixa preta é para quem atingiu todos os conhecimentos da classe Kyu e domina a arte marcial (classe Dan). No Sistema Shotokan são definidos mais 10 níveis exclusivos para serem alcançados pela classe Dan (faixas pretas). A modalidade competição é dividido em kata, uma apresentação de movimentos e o kumite, que consiste na luta em si.