“Chaves” deixa de ser exibido em países da América Latina

Uma das mais populares séries de televisão “Chaves”, protagonizada por Roberto Gómez Bolaños “Chespirito” e que continuava sendo transmitida principalmente na América Latina, foi tirada do ar de todos os canais em que era exibida no último domingo, 2 de agosto.
Criada por Gómez Bolaños em 1970 e com o último capítulo gravado em janeiro de 1980, “Chaves” foi retirada da televisão porque, segundo a imprensa mexicana, a família do ator e o canal Televisa não chegaram a um acordo sobre os direitos da série.
“Embora estejamos tristes pela decisão, minha família e eu esperamos que Chespirito esteja em breve nas telas do mundo. Continuaremos insistindo e estou seguro de que conseguiremos”, escreveu em sua conta do Twitter Roberto Gómez Ferán, filho do ator.

Assunto mais comentado
A retirada de “Chaves” do ar entrou para os assuntos mais comentados no Twitter, com várias mensagens de lástima dos espectadores de países de língua espanhola, os quais ressaltaram os valores manifestados pelo programa, como a amizade, solidariedade e a honestidade.
No entanto, também havia duras mensagens de crítica, principalmente de usuários mexicanos, que consideram que o programa “manipulava” as crianças e tinha nuances “classistas”.
Após a morte de Chespirito, a revista Forbes estimou que “Chaves” reportou à Televisa cerca de US$ 1,7 bilhão até 2014.
Florinda Meza, intérprete de Dona Florinda e viúva de Roberto Bolaños, abriu o coração ao se manifestar sobre a situação. Ela escreveu um texto emocionante publicado nas redes sociais, dizendo que o episódio é um “ataque aos fãs”.
“Quando o mundo precisa de mais diversão, isso será um ataque às pessoas. Além disso, isso vai contra seus próprios interesses comerciais, porque neste momento queremos ver tudo o que nos lembra um mundo melhor. Faz parte do DNA dos latinos, nós o carregamos na memória genética. Fingir cortá-lo é um movimento imprudente”, disse.
“Eu nunca pensei que isso iria acontecer comigo, mas pela primeira vez eu encontrei um motivo para dizer o quão bom meu Rober não é neste mundo! Esse ato incompreensível chuta sua memória e o que ele mais respeitava: o público. Talvez alguns executivos sem visão queiram apagá-lo, mas no coração e na memória dos mocinhos que sempre o seguiram, ele estará mais vivo do que nunca”, finalizou a atriz.