Confira o calendário completo de provas do Pan-Americano de Lima

O comitê organizador do Pan-Americano de Lima-2019 divulgou o calendário completo de competições para os Jogos deste ano. Para quem resolver sair do Brasil para acompanhar o Pan ao vivo, é bom se preparar para rodar bastante pela região de Lima, no Peru ,se quiser assistir os eventos.
Com 39 esportes e 62 modalidades, o Pan de Lima terá suas competições divididas em 14 distritos de Lima e Callao, onde acontecerão em subsedes como Videna, Complexo Villa Maria del Triunfo, Villa Deportiva de Callao, Villa El Salvador, entre outros.
No total, serão 21 sedes de competições, incluindo o Estádio Nacional de Lima, local da cerimônia de abertura do Pan, no dia 26 de julho.
Embora a abertura esteja marcada para o dia 26, no dia 24 haverá competições do torneio de handebol feminino, com jogos no Polideportivo 1, em Videna.
No dia 25, além do prosseguimento do torneio de handebol, o calendário do Pan prevê o início das competições do vôlei de praia, na região da Costa Verde de San Miguel. Também começarão os eventos de boliche e o squash, em Videna, e do softbolmasculino, em Villa Maria del Triunfo.

A menos de um mês do Pan de Lima, COB evita falar em metas, mas sonha com Top 3

Durante o evento para a abertura do Pan de Lima, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) evitou a todo custo cravar uma previsão de medalhas que serão conquistadas no evento.

Calejados pelo que ocorreu na Rio-2016, quando foi traçada a meta para o Brasil terminar no Top 10 (acabou em 13º), os representantes da entidade foram mais cuidadosos. Preferiram ressaltar o desafio que será assegurar o maior número possível de vagas para a Olimpíada de Tóquio, no ano que vem. Este será o Pan-Americano com mais modalidades classificatórias para os Jogos de 2020, 23 no total.

Ainda assim, todos deixam claro que uma das metas em Lima será permanecer no Top 3 das Américas. Se possível, até buscar um inédito segundo lugar no quadro de medalhas.

“A gente espera lutar pelo segundo ou terceiro lugar, mantendo o que estamos fazendo nos últimos Jogos. Mas não queremos criar uma pressão ou expectativa em cima dos atletas. Naturalmente, pela força do Brasil, analisando alguns países que caíram de rendimento, enquanto outros cresceram, acredito que vamos disputar entre o segundo e terceiro lugares”, afirmou Marco La Porta, vice-presidente do COB e que será o chefe de missão do Time Brasil em Lima.

O diretor de Esportes do COB, Jorge Bichara, admite que existem projeções de medalhas feitas internamente, mas que elas não serão anunciadas. “Nós fizemos avaliações numéricas, aliás todos fazem. Mas o Pan é uma competição na qual você só sabe mesmo com quem irá competir quando chega no local do evento. É difícil fazer uma projeção. Ainda estamos aguardando definições das equipes americanas e canadenses, principalmente de atletismo, natação e ginástica”, afirmou Bichara.

Caso termine no Top 3 no quadro de medalhas em Lima, o Brasil repetirá o feito pela sexta vez. Nas últimas três edições (Rio-2007, Guadalajara-2011 e Toronto-2015), o Time Brasil ratificou-se como a terceira força esportiva das Américas. Mas já tinha alcançado essa posição nos Jogos de Chicago-1959 e quando foi sede pela primeira vez, em São Paulo-1963.