Contato diário com a natureza diminui níveis de estresse

Você tem algum tempo em sua rotina para ficar perto da natureza? Segundo um estudo publicado em Frontiers in Psychology, tirar pelo menos vinte minutos do seu dia para passear ou sentar em um lugar que faz com que você se sinta em contato com a natureza reduzirá significativamente os níveis de hormônio do estresse.
“Sabemos que passar algum tempo na natureza reduz o estresse, mas até agora não ficou claro o quanto é suficiente, com que frequência fazê-lo ou até mesmo que tipo de experiência com a natureza nos beneficiará”, afirma a doutora MaryCarol Hunter, professora da Universidade de Michigan e principal autora da pesquisa.
“Nosso estudo mostra que, para o maior retorno, em termos de redução eficiente dos níveis de cortisol, o hormônio do estresse, você deve passar de 20 a 30 minutos sentado ou andando em um local que lhe proporcione uma sensação de natureza”, ressalta.
Chamada de “pílula da natureza”, a descoberta é importante por ser uma solução de baixo custo para reduzir os impactos negativos à saúde decorrentes da crescente urbanização e do estilo de vida em que as pessoas ficam em ambientes internos a maior parte do tempo e em frente a um computador. Para saber quanto seria a dose necessária de exposição diária, os pesquisadores fizeram um experimento de oito semanas, em que os participantes foram convidados a ter contato com a natureza por um período de 10 minutos ou mais, pelo menos 3 vezes por semana.
Os níveis de cortisol, um hormônio do estresse, foram medidos a partir de amostras de saliva retiradas antes e depois da caminhada pela natureza, uma vez a cada duas semanas.

Livre escolha
Os participantes eram livres para escolher a hora do dia, a duração e o local de sua experiência com a natureza. “Houve algumas restrições para minimizar fatores conhecidos por influenciar o estresse: deveria ser à luz do dia, sem exercícios aeróbicos, e evitar o uso de redes sociais, internet, telefonemas, conversas e leitura”, explica Hunter.
“Construir flexibilidade pessoal para o experimento nos permitiu identificar a duração ideal de uma pílula natural, não importando quando ou onde ela é tomada, e sob as circunstâncias normais da vida moderna, com sua imprevisibilidade e programação agitada”, destaca.
Os dados revelaram que apenas uma experiência de vinte minutos foi suficiente para reduzir significativamente os níveis de cortisol. Mas se você passasse um pouco mais de tempo imerso em uma experiência na natureza, de 20 a 30 minutos sentado ou caminhando, os níveis de cortisol caíam em uma taxa ainda maior. Depois disso, os benefícios adicionais de redução de estresse continuam a aumentar, mas a um ritmo mais lento.

Rega prática
“Profissionais de saúde podem usar nossos resultados como uma regra prática baseada em evidências sobre o que colocar em uma prescrição da pílula da natureza”, diz Hunter.
“Ele fornece as primeiras estimativas de como as experiências da natureza impactam os níveis de estresse no contexto da vida cotidiana normal. Isso abre novos caminhos ao abordar algumas das complexidades da medição de uma dose eficaz da natureza”, completa.