Documentário conta história de sucesso por trás da Netflix

O futuro documentário Netflix vs. the World irá contar a jornada de duas décadas de como a plataforma foi de uma locadora de DVD para um dos maiores serviços de streaming da atualidade, relatando seu tempo como uma startup do Vale do Silício, sua luta de anos contra competidores como a Blockbuster e a Amazon e todo o drama e desastre por trás dos bastidores.
Shawn Cauthen é o diretor, que junto com a autora e jornalista Gina Keating, entrevistou um grande número de pessoas envolvidas nos anos de formação da empresa, bem como observadores da indústria do entretenimento.
Dentre os entrevistados, está a equipe fundadora da Netflix: Marc Randolph (cofundador), Christina Kish (chefe de marketing), Corey Bridges (aquisição de clientes), Jim Cook (operações), Boris e Vita Droutman (engenheiros de computação), Heidi Nyburg (gestão de produtos), Erich Ziegler (marketing), Paul Kirincich (análise), Steve Swasey (comunicação), Tom Dillon (diretor de operações) e Tracy de Soto (assistente de Reed Hastings, CEO e cofundador da Netflix).
O documentário também conversou com John Antioco, presidente e CEO da Blockbuster e outros funcionários da empresa: Nick Shepard (diretor executivo), Shane Evangelist (gerente geral da Blockbuster online), Ben Cooper (marketing online da Blockbuster), JW Craft (operações online da Blockbuster) e Alan Payne (formador da franquia Blockbuster). Netflix vs the World ainda não possui data de estreia definida.

A empresa

Netflix é uma provedora global de filmes e séries de televisão via streaming, atualmente com mais de 100 milhões de assinantes. Fundada em 1997 nos Estados Unidos, a empresa surgiu como um serviço de entrega de DVD pelo correio.
A expansão do streaming, disponível nos Estados Unidos a partir de 2007, começou pelo Canadá em 2010. Hoje, mais de 190 países têm acesso à plataforma. Sua primeira série original de sucesso foi House of Cards, lançada em 2013.
Hoje em dia, a empresa produz centenas de horas de programação original em diferentes países do mundo, querendo aprimorar-se nas aplicações e em novas programações. Os planos foram apresentados no Mobile World Congress em Barcelona, Espanha. Em setembro de 2016, a empresa anunciou que planeja ter 50% do catálogo composto de produções originais nos próximos anos.
A Netflix confirmou sua preferência por filmes e séries exclusivas, contrapondo sucessos do cinema, que podem ser vistos em outras plataformas. Para se diferenciar, a empresa planeja investir 5 bilhões de dólares (19 bilhões de reais) na produção ou aquisição de conteúdo original, segundo informa a Reuters. Dentre as séries originais, destacam-se Stranger Things, Narcos, dentre outras.