Vídeo: Empresário fala sobre desafios que Ituverava precisa vencer

Bassim Tannous relembra sua chegada à cidade e fala sobre importância do desenvolvimento do município

Nessa semana, o convidado do especial sobre o futuro de Ituverava é Bassim Tannous, um dos mais importantes empresários da região. Proprietário da Rede de Supermercados Liberdade ele, que é um grande filantropo, fala, em entrevista concedida à Tribuna de Ituverava, sobre os desafios da cidade para que volte a crescer. Confira:

Apresentação
“Meu nome é Bassim Tannous, sou casado com a empresária Eliana da Silva Tannous e tenho o filho Gabriel da Silva Tannous
Nasci no Líbano, vim para Miguelópolis com meus pais aos 4 anos de idade. Estudei em Ituverava até 1965, fui para Ribeirão Preto e em 1968 entrei na Faculdade Medicina de Marília, onde me formei médico. Depois me especializei em cirurgia, exerci a profissão durante 8 anos em São Paulo e vim para trabalhar como médico em Ituverava, só que o destino me colocou na área de supermercados. Como não dava para fazer as duas coisas bem feitas, optei pelo supermercado, e deu certo.
Sou proprietário da Rede de Supermercados Liberdade, com quatro lojas em Ituverava e uma em Igarapava, mas, provavelmente, teremos outras, apesar dos meus 71 anos. A rede tem em torno de 400 funcionários diretos e um grande número de empregos indiretos, além de proporcionar renda para Ituverava, cidade que adotei e tenho grande amor”.

Início
“Quando vim para Ituverava, comecei a trabalhar no comércio. Naquela época, a cidade não tinha um supermercado, mas apenas duas ou três empresas que eram nada mais que mercearias com autosserviço. Elas não dispunham de padarias, de produtos hortifruti e de açougue. A primeira coisa que decidi fazer foi colocar esse diferencial na loja 1 (próximo à Praça 10 de Março) e foi um resultado estrondoso. Isso foi no ano de 1983.
Dois anos depois, em 1985, eu construí a Loja 2 (em frente ao posto Platinum) e, graças a Deus, depois de 34 anos, ela continua nova, bonita e com cara de moderna e atual, pois fazemos constantes melhorias e reformas para modernizá-la cada vez mais. Foi assim que eu criei o primeiro supermercado de Ituverava porque no Liberdade Supermercados você encontra de tudo, é onde todo mundo vem e copia”.

Ituverava
“Ituverava passou por uma fase muito próspera, que foi por conta do agronegócio e agropecuária, mas nunca devido à indústria. Ituverava tinha uma área plantada de algodão muito grande, além de soja e café. Tudo requeria mão de obra manual, então, realmente Ituverava era uma cidade de um movimento muito forte, dava gosto de se ver. Com a evolução do Brasil, das tecnologias, hoje é tudo feito com máquinas, você planta e colhe cana com máquina.
O algodão, a soja e o milho sumiram da região, então, hoje, a economia da cidade que depende de Prefeitura, Santa Casa e funcionários públicos, Ituverava não tem muita opção de renda, a única empresa de grande porte que nós temos é a Santa Maria, que não tenho noção de quantos empregos gera. Mas fora isso, não temos nenhuma empresa que gera um número expressivo, então hoje, se não foi feita alguma coisa vai ficar muito difícil, apesar de achar que a crise não é só em Ituverava, mas sim em todo o Brasil. O que acontece é que nós, por morarmos aqui, sentimos mais. Hoje a realidade de supermercados é que se vende mais e ganha menos”.

Fundação Educacional de Ituverava
“Falando em crescimento e em empregos, esqueci de uma que gera muitos empregos e traz muita gente de fora para movimentar a economia da cidade, que é a Fundação Educacional de Ituverava. A instituição, além de gerar muitos empregos, traz muita gente para estudar, pois tem vários cursos bons.
A FE se destacada devido à sua estrutura e à estrutura de Ituverava, que poucas cidades têm, já que aqui dispomos de uma ótima estrutura médico-hospitalar. Por conta disso, a FE está pleiteando o curso de Medicina.
Em quantas cidades hoje o aluno se forma sem ver nenhum paciente e frequentar locais para aprender? Ituverava tem todas as condições, mas um decreto do governo proibiu a abertura de novas faculdades de Medicina por 5 anos, então vamos aguardar para ver. No entanto, reafirmo que Ituverava tem muita condição, pois a FE é uma entidade muito sólida, séria e tem tudo para gerir o curso de Medicina em Ituverava.
Para ter uma faculdade de Medicina é preciso de bons hospitais e temos a Santa Casa e o Hospital e Maternidade de Ituverava – São Jorge, além de bons locais para os alunos fazerem estágios, como o AME e vários postos de saúde.
A saúde de Ituverava não deixa nada a desejar comparando com grandes centros, então eu acho que a Saúde e a Educação de Ituverava estão em um nível acima do normal. Eu mesmo quando preciso fico em Ituverava”.

Economia
“Ituverava parou no tempo. Desde que cheguei em Ituverava, há 40 anos, tem uma área próximo à Via Anhanguera pronta para um Distrito Industrial, mas nunca ninguém teve um interesse em desapropriar e criar uma área industrial para trazer industrias, pois a Via Anhanguera é a porta de entrada e saída do Brasil.
Temos exemplos para ter indústrias. Vejam a UPL, uma empresa indiana, que cresceu muito nesses 7 anos e continua a crescer, porque o centro de distribuição de Ituverava é um ponto estratégico e nenhum prefeito soube explorar isso até agora. Apenas a Santa Maria está investindo no local, mas faz isso com o dinheiro próprio, porque não tem incentivo que todas cidades dão. Jardinópolis por exemplo, é menor que Ituverava, e tem muitas indústrias. Lá eles criaram um Distrito Industrial, mas em Ituverava, sai prefeito, entra prefeito e ninguém pensa em fazer um Distrito Industrial. Então eu acho que isso é o maior pecado, um fala, o outro nem lembra, o outro fala que vai fazer e fica só no ‘vou fazer’, mas não aparece alguém com atitude, porque se não criar o centro industrial e oferecer incentivos, Ituverava não vai crescer. O município precisa de alguém de coragem para desapropriar e criar um Distrito Industrial. Em Ituverava, infelizmente, falta vontade para muita coisa”.

Corrupção
“Ituverava já teve prefeitos que tentaram renovar a parte mais importante dentro da prefeitura, não vou citar nomes, mas já tentaram tirar os que estavam lá mamando há muito tempo. Um exemplo é o Liporaci (José Carlos Jacob Liporaci), que foi secretário do prefeito Mário Matsubara e, em um ano ‘queimou’ os que estavam mamando, porque os antigos pararam de levar vantagem e a conta no Tribunal de Contas não ia fechar. Então, o que deve ser feito é acabar com as maçãs podres. Alguns aposentaram, mas muitos não querem nem saber de aposentar não, porque ali rende muito”.
Reeleição
“Reeleição é uma podridão, porque no primeiro mandato o cara não faz nada, chega no último ano de mandato ele faz alguma coisa e usa para a campanha eleitoral para se reeleger. No segundo mandato, acontece o que muitas vezes também pode acontecer em empresas. Eu mesmo tenho como exemplos funcionários que eram exemplares, mas quando foram readmitidos só me deram problemas. Além disso, o cara sabendo que é o ultimo ano dele (o segundo mandato) ele não vai fazer nada, não tem interesse. E isso não é algo exclusivo de Ituverava, mas sim de todo o Brasil.
Você pode ver a Darcy Vera (prefeita de Ribeirão Preto presa por corrupção) como exemplo. No segundo mandato, ela só roubou, então, eu não sou a favor de reeleição. Aquele Kassab (Gilberto Kassab) tem ‘cara’ de retardado, mas o Serra (até então governador de São Paulo) deixou o poder na mão dele, que candidatou e ganhou do Alckmin (Geraldo Alckmin).
Como digo, reeleição é podridão e deveria deixar de existir. O que poderia era aumentar um ano, para mandato de 5 anos, o que já estaria bom, pois seria o ideal, igual ao sistema americano. Daria tempo de fazer, pois o que a pessoa não fez em 5 anos, ela não vai fazer em 10 anos. E cabe ao próximo eleito dar continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado, porque, caso contrário, vai ficar ruim pra ele”.
Política
“Eu nunca fui e nunca serei político, mas não sou de sair falando mal dos outros. Minha vida é do supermercado para a minha casa, de minha casa ao supermercado, e nunca fico na rua falando mal de ninguém. Não sou político, mas sou politizado. Assisto muitos noticiários, acompanho e não sou ‘Maria vai com as outras’. Analiso muito as coisas em tudo que eu faço, na política, futebol, comércio, eu analiso tudo. Então se o governo ou o próprio Bolsonaro não fizerem alguma coisa, o Brasil vai continuar a mesma coisa: o grande cada vez maior, e o pequeno cada vez mais sufocado”.

Esporte em Ituverava
“Sobre o esporte de Ituverava, assim como qualquer coisa na vida, deve haver investimento. Você não consegue formar um time, viajar se não tiver ônibus ou se não tiver um treinador. Quando patrocinei o time de futsal da cidade, só no primeiro ano tínhamos ônibus no governo Lúcio (Lúcio Adalberto Lima Machado) para levar os jogadores. Depois tive que bancar tudo, transporte, alimentação, só que ficou pesado para mim, pois tinha somente duas lojas. Mas fomos campeões um ano, vice-campeões no ano seguinte, foi a época em que a quadra desde que inaugurou, nunca teve tanto público, foi quando participei do futsal.
Adoro esporte, só que se não tiver incentivo, não tiver apoio do Poder Público não vira nada. Há quantos anos Ituverava disputa a EPTV e só passa vergonha? Porque não tem apoio. Temos jogadores bons aqui que vão jogar em Guará, Miguelópolis e outras cidades, pois em Ituverava não há incentivo ou apoio. Só pra se ter uma ideia, na minha época para disputar o campeonato precisava de um placar eletrônico e a prefeitura não deu. Tive que colocar um placar eletrônico com meu dinheiro para poder disputar o campeonato oficial.

Tribuna de Ituverava

“Primeiramente gostaria de agradecer a Tribuna de Ituverava por ter me cedido esse espaço e parabenizar o Cassiano (José Luiz Alves Cassiano), meu grande amigo, que seguiu o que o pai deixou, pois, hoje, para uma empresa familiar permanecer viva por 70 anos precisa de muita persistência e boa vontade, já que atravessamos crises e a empresa continua em pé.
Nesses 70 anos acredito que tiveram períodos bons, períodos ruins, mas espero que agora só venha bons períodos, pois de ruim, nós já estamos cansados, de dificuldades nós estamos cansados. Nós queremos coisas melhores, para nós, para nossa família e para o povo de Ituverava. Parabéns à Tribuna de Ituverava”.