Empresário propõe projetos para o desenvolvimento de Ituverava

O empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”), na Câmara dos vereadores de Ituverava

Propostas foram apresentadas por Luiz Carlos  Rodrigues (“Busa”), na Câmara Municipal

Devido à grave situação econômica do Brasil, muitas cidades têm enfrentado uma realidade bastante dura, com um número cada vez menor de repasses dos governos Federal e Estadual. O resultado disso é que muitos municípios ficam estagnados, sem alcançar índices de crescimento por anos.
Para amenizar essa situação, a participação da sociedade se torna muito importante, pois a união da população pode resultar em sugestões com potencial de contribuir com o desenvolvimento do município.
Pensando nisso, o empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”) esteve recentemente na Câmara Municipal de Ituverava, onde falou sobre um projeto que busca fortalecer Ituverava economicamente.
Busa usou a palavra por cerca de 15 minutos e sua fala foi acompanhada com bastante interesse pelos vereadores, público presente e pelos representantes do Poder Executivo: pelo vice-prefeito e secretário municipal da Saúde, Alcides Antônio Maciel Júnior; pelo secretário municipal da Agropecuária, Indústria e Comércio, Luciano Chaebub Rodrigues (“Lolô”) e pelo gestor em Saúde Pública, Sérgio Renato Macedo Chicote.
Também estiveram presentes representantes da Santa Casa de Ituverava, instituição da qual Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”) é presidente. Entre eles estavam a administradora Cláudia Maria Carreira Frata; o tesoureiro Bruno Baldo Filho e o vice-presidente, Gercino Pistore.
Em entrevista concedida à Tribuna de Ituverava, o empresário fala os projetos. “Sabemos que é um momento difícil para o país e que as prefeituras estão sem recursos, por isso propus uma reflexão junto aos vereadores e aos representantes do Poder Executivo”, diz.
“Ao longo da minha fala, demonstrei que Ituverava precisa crescer, pois se observamos, por exemplo, dados do ano de 1934, poderemos constatar que naquela época Ituverava possuía 26.535 habitantes, Franca possuía 60.237 e Ribeirão Preto 81.565. Não era uma diferença tão grande se comparado ao momento atual”, afirma.

Produção de algodão

Ainda segundo ele, na década de 80, Ituverava era a maior produtora de algodão da região, com 22.920 toneladas. “Em segundo lugar, vinha Miguelópolis com 16.204 toneladas, ou seja, havia uma diferença muito grande. Em 1995, a cidade permanecia como a maior produtora da região (18.320 toneladas), seguida de longe por Guará (2.775 toneladas) e Guaíra (2.046 toneladas)”, relata.
Busa ainda lembra que em 1996, com 34.162 habitantes, Ituverava contava com a Maeda, sétima maior empresa da região de Ribeirão Preto, atrás apenas de Magazine Luiza, Usina Santa Elisa, Refrescos Ipiranga, Cervejaria Antárctica Niger, Cia Açucareira Vale do Rosário e Ceterp (Centrais Telefônicas de Ribeirão Preto). “Agora, o município precisa encontrar meios para voltar a crescer”, ressalta.

Projetos envolvem as áreas de  educação e empreendedorismo 

O empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”) apresentou três projetos para o desenvolvimento de Ituverava. “O primeiro deles é o fato de que precisamos parar de importar inteligências. Um jeito de fazer isso é incentivar, por exemplo, alunos dos quatro cursos de Engenharia oferecidos pela FFCL (Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção) para que façam cursos de pós-graduação, para que se tornem professores na própria FFCL”, explica.
“Desta maneira, esses profissionais continuariam na cidade, o que é muito importante, pois aqui investiriam seu dinheiro. E acredito que se trata de um valor significativo”, diz.
Incentivo ao curso  de Agronomia
No segundo projeto, o empresário Busa busca incentivar o agronegócio e o curso de Agronomia oferecido pela Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram). “Hoje o que acontece é que as famílias proprietárias arrendam suas terras para usinas. Ao invés disso, deveriam incentivar que alguém da família cursasse Agronomia, pois com o conhecimento obtido neste curso, que é um dos melhores do país, os próprios proprietários da terra poderiam ter condições de geri-la”, defende.
“Isso aumentaria o lucro dos donos das terras e o dinheiro ficaria na cidade ao invés de ir para usinas de outros municípios”, destaca Busa.

Incubadora
Por fim, Busa propõe a criação de uma incubadora de empresas em Ituverava. “Mais uma vez, as instituições mantidas pela Fundação Educacional de Ituverava (FFCL e Fafram) teriam um papel importante, pois devido à qualidade dos cursos oferecidos pelas faculdades, muitos dos formandos têm capacidade para iniciar o seu próprio negócio”, observa o empresário.
Após concluir a sua fala, Busa foi elogiado pelos vereadores, representantes do Poder Público e da sociedade presentes na Câmara Municipal. Agora, cabe ao Poder Executivo, ao Poder Legislativo, à Fundação Educacional de Ituverava e a toda a sociedade se unir para colocar em prática os projetos propostos pelo empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”).
A Tribuna de Ituverava também elogia a iniciativa do empresário Busa que ao longo dos anos, sempre com idealismo e transparência, tem contribuído com o desenvolvimento do município, com projetos inovadores e bem planejados.

O empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”)

Primeiros passos para colocar  ideias em prática foram dados 

Com muito idealismo, o empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”) já tem buscado meios de dar os primeiros passos rumo a esses importantes projetos. No dia 23 de maio, ele esteve em São Paulo participou da cerimônia de posse no novo secretário estadual da Fazenda, Luiz Cláudio de Carvalho, na sede do Palácio do Governo.
Na ocasião, Busa falou com o novo secretário e outras autoridades do governo a respeito da falta de indústrias em Ituverava. Luiz Cláudio de Carvalho se mostrou bastante atencioso em relação à situação e se dispôs a tratar do assunto posteriormente.
Em seguida, o empresário Luiz Carlos Rodrigues se reuniu com o presidente da Agência de Desenvolvimento de São Paulo (Desenvolve SP), Álvaro Sedlacek.
“O intuito foi discutir a implantação de novas políticas em Ituverava voltadas aos alunos que se formarão neste ano nos cursos de Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção”, explica.
“Muitos de nossos alunos se formam e mudam de cidade em busca de trabalho, o que é péssimo para o desenvolvimento de Ituverava. Por conta disso, procuramos o Dr. Álvaro Sedlacek, que gentilmente nos recebeu e discutiu ideias para mantes esses profissionais em nossa cidade”, afirma Busa.
“Uma dessas ideias é estabelecer políticas de incentivo a pequenos empreendedores, o que poderia gerar mão de obra para esses profissionais”, completa o empresário”, finaliza Busa.
Ainda segundo o empresário, o presidente da Agência de Desenvolvimento de São Paulo (Desenvolve SP), Álvaro Sedlacek aceitou convite para vir em Ituverava, quando se reunirá com os dirigentes da Fundação Educacional de Ituverava, o presidente Pedro César Galassi, o diretor da Faculdade Dr, Francisco Maeda – Fafram e o diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ituverava – FFLC – Antônio Luz de Oliveira (“Toca”), além de representante do Poder Público.

Sobre a Desenvolve SP

A Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista é uma institui-ção financeira do Governo do Estado de São Paulo que oferece as melhores op-ções de financiamento para transformar o projeto de crescimento da sua empresa em realidade.
Com prazos longos e as taxas de juros mais competitivas do mercado, a Desenvolve SP apoia o desenvolvimento das pequenas e médias empresas paulistas, incentivando o crescimento da economia e a geração de emprego e de renda em São Paulo.
As opções de crédito da Desenvolve SP atendem todas as necessidades da empresa, financiando os projetos de investimento em ampliações e modernizações, a aquisição de máquinas e equipamentos e projetos inovadores. Vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão, a Desenvolve SP foi criada pela Lei Estadual 10.853/01, e regulamentada pelo Decreto 52.142/07.