Enem pode ter novo modelo a partir da edição de 2020

O ministro da Educação, Rossieli Soares, afirmou que a pasta deverá apresentar até o final do ano um novo modelo para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
A ideia está em discussão em paralelo à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que já teve a aprovação para os Ensinos Básico e Fundamental e está em votação no Conselho Nacional de Educação (CNE) para o Ensino Médio.
A Base Nacional Comum Curricular é um dos pontos do Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2014. Ela foi enviada ao Conselho Nacional de Educação (CNE) no começo do ano passado e aprovada em dezembro, quando, enfim, foi assinada pelo então ministro da Educação, Mendonça Filho.
O CNE deve entregar até o final deste ano as diretrizes para o Ensino Médio. As escolas públicas e privadas do país devem elaborar seus próprios programas a partir da BNCC até 2020.
De acordo com Rossieli, o modelo já está em debate no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e deve aproveitar a esteira da BNCC para promover as alterações, levando em conta o conteúdo mínimo que deverá ser ensinado nas escolas do país.
Uma das alternativas em discussão diz respeito a modelos diferentes de provas para avaliar os caminhos estabelecidos no novo Ensino Médio que entrará em vigor no ano que vem a partir da BNCC.
“Nós vamos apresentar uma proposta ainda este ano se a base for aprovada, como é o nosso desejo”, disse o ministro. O Enem 2018, dessa forma, permanece nos moldes utilizados nos anos anteriores.
Rossieli também acredita ser necessária uma adequação da formação do Ensino Médio, que não pode ser voltada apenas para que os estudantes tenham notas altas no Enem. “O exame precisa mudar. Não podemos fazer educação com Enem sendo o norte da educação. Pela primeira vez, o Brasil terá a oportunidade de discutir o Enem, que é porta de entrada no ensino superior e não porta de saída”, defendeu o ministro.

Modelo atual
Atualmente, o Enem é composto por provas de Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Redação. Neste ano, mais de 5,5 milhões se inscreveram para o exame.
As notas do exame podem ser usadas para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições particulares de Ensino Superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
O número de alunos inscritos no Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) cresceu 4.736% de 1998, quando a primeira prova foi aplicada, ao ano passado. O recorde de inscrições para o exame aconteceu em 2014, quando 9,5 milhões de brasileiros se candidataram para fazer a prova.

Plataforma gratuita prepara alunos para o ENEM que acontece em novembro 

Os estudantes que vão prestar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), nos dias 04 e 11 de novembro, podem contar com a tecnologia para reforçar os estudos. A Trilha do ENEM é uma ferramenta on-line e gratuita, lançada em 2015, que visa auxiliar no desenvolvimento do estudante que está se preparando para a prova.

No site, são permitidos os cadastros de alunos de escolas públicas ou privadas de todo país. Neste ambiente virtual, os alunos podem realizar simulados, disponibiliza vídeo aulas e outros conteúdos de interesse dos candidatos. O diretor da unidade da Faculdade Anhanguera de Franca, Leonardo Vieira, afirma as vantagens do uso da tecnologia na hora de estudar. “É uma ferramenta muito eficiente e didática, que vai ajudar o aluno a reforçar os estudos para a prova do Enem”, afirma.
Um dos diferenciais da plataforma é que, durante todo o percurso dos estudos, os alunos podem acompanhar sua evolução. Os alunos inscritos também têm acesso a vídeo-aulas ao vivo. “É uma ótima dica para quem quer aprimorar os conhecimentos e não pode gastar com cursinhos preparatórios”, recomenda Leonardo.

Apoio completo

Além das vídeo-aulas gratuitas, o projeto Trilha do Enem permite que o aluno acesse todo material didático e realize simulados da prova. A plataforma também vai realizar a correção da prova ao vivo, após o final do exame, com a avaliação de professores.

Para acessar o conteúdo, basta entrar no site www.trilhadoenem.com.br e realizar um cadastro com login e senha. Todos os acessos são gratuitos.