Vídeo: O 1º entrevistado no “Ituverava e os próximos 70 anos…” é o empresário Rubens de Paula Vieira Andrade

Entrevista com o empresário Rubens de Paula Vieira Andrade, fundador da Santa Maria

Em sua entrevista, o empresário Rubens de Paula Vieira Andrade, da Santa Maria, fala sobre sua chegada a Ituverava, sua ideia de montar uma indústria no município e sobre suas expectativas para o futuro do município. Confira agora:

Vídeo postado no canal do YouTube da Tribuna de Ituverava.

Abaixo segue a entrevista na íntegra:

O empresário Rubens de Paula Vieira Andrade

Apresentação
“O meu nome é Rubens de Paula Vieira Andrade, sou filho de São José da Bela Vista, fui criado na cidade de Franca, e mudei para São Paulo em 1950, onde fiquei até 1952, depois casei-me em Franca, e retornei para São Paulo.
Conheço Ituverava, desde a década de cinquenta, aquela maravilha que era, uma cidade tão pacata, mas residia em Franca, uma cidade mais industrial. Então, conheci Ituverava desde essa época tão gostosa que, na verdade, é até hoje. Devo muito a Ituverava.

Família
“Em São Paulo, tive a benção de Deus de ter tido muito sucesso e foi onde nasceram os meus quatro filhos. Mas minha esposa Maria Inêz Nogueira Andrade e toda a sua família são de Ituverava. Na época, minha sogra e meu sogro estavam morando aqui, então resolvi, já em condições razoáveis, sair de São Paulo com a minha família, apesar de que, para mim, a cidade mais abençoada do mundo foi São Paulo, porque me deu quatro filhos maravilhosos: Ivete Andrade de Branco, casada com Luiz Eduardo de Branco; Ivonete Andrade, casada com José Carlos; Rubens de Paula Andrade, casado com Neiva Rodrigues Andrade, e Rosana Andrade Pistore, casada com José Dirceu Pistore.
São meus netos Fabiana Andrade Macedo, casada com Flávio Macedo; Gustavo Orsatti, casado com Paula Orsatti, Danilo Orsatti; Luiz de Branco Neto, casado com Roberta de Branco; Fabíola Branco Mestrich, casada com Luciano Mestrich; Rubens Neto, casado com Naiara Macedo Andrade, Bruna Andrade e Vitória Andrade; e bisnetos Ilka e Flavinho Macedo, Heitor e Lucas Orsatti, Alice Andrade, Henrique Branco, Manuela e Helena Mestrich, que convivem comigo com a graça de Deus, todos com muita saúde”.

Mudança para Ituverava
“Vindo para Ituverava, fiquei um pouco ‘vagabundo’, e pescava de segunda a sexta-feira, pois tinha condições, a situação estava boa, então eu pescava a semana inteira. Estava em uma cidade linda e maravilhosa, tive amigos maravilhosos, como tenho ainda, só que o tempo passou e a pescaria passou da minha fase.
Então passei a pescar só aos sábados e domingos. Aos quarenta e poucos anos, eu me peguei pensando: espera um pouco, o que fiz? Nada de parar! Foi quando olhei para a cidade e pensei bem. Naquele momento eu ainda tinha uma casa que era de aluguel, então decidi construir uma casa para mim e disse: ‘Vamos colocar uma indústria aqui’. Trouxe máquinas que tinha em São Paulo, que tenho guardado até hoje no museu da fábrica, e iniciamos a empresa.
Mas no início, tudo foi feito apenas por mim, pois não tinha ninguém da família me ajudando, já que na época eram crianças. Depois vieram meus filhos, meu genro e toda a família.

Indústria
“Iniciamos a Indústria lá embaixo, e o que ela rendeu está aqui hoje, na cidade de Ituverava, onde tive a benção de Deus de receber os meus netos e bisnetos. Estou com 82 anos, tenho uma família maravilhosa, inclusive tenho neta com mais de 40 anos, e toda a família participa da administração da empresa, portanto me considero uma pessoa muito presentada por Deus.
Por todos estes fatos, Ituverava é uma cidade que está no meu coração e da minha família, pois gostamos muito dessa cidade. Temos muito amor, carinho e dedicação por Ituverava e somos muitos felizes aqui. Claro que já tivemos alguns problemas, mas as dificuldades fazem parte da vida e as pedras no caminho são para nos ensinar”.

Tribuna de Ituverava
“Nesta cidade em que vivo, eu conheci o jornal Tribuna de Ituverava, que é uma maravilha. Por isso parabenizo ao jornal pelo seu aniversário de 70 anos e ao amigo José Luiz Alves Cassiano que deu sequência ao trabalho de seu pai, Adhemar Cassiano, bem como sua filha e o genro, que formam uma linda família. Quaro também agradecer muito à Tribuna de Ituverava, pois temos o jornal no coração. Ele tem 70 anos e tem 70 anos por quê? Porque foi e é muito útil para nosso município”.

Santa Casa e FE
“Quero também dar os parabéns à Fundação Educacional de Ituverava, por essas faculdades maravilhosas que nós temos e dizer, aos administradores das faculdades, parabéns por conseguirem realizar esse sonho de fazer com que as instituições cresçam cada vez mais.
Também quero citar a nossa Santa Casa, que conheço há tantos anos, e dizer que há pouco tempo, cerca de um ano atrás, por uma circunstancia ou outra, tive que entrar na área de hemodiálise, que sempre passamos em frente e víamos aqueles carros parados na porta, as ambulâncias, mas não mentalizava.
Quando entrei na sessão de hemodiálise, eu tomei um choque muito grande, pois o local é impressionante e imediatamente me reportou a São Paulo, na época em que morava lá, quando tive um problema no dedo, ocasião em que caí em um poço, e fui levado para o Hospital das Clínicas. Quando entrei naquela hemodiálise de Ituverava, me arrepiei todo. Será que a nossa cidade merece tanta maravilha? Tanta beleza?
É uma experiência bastante humana ver as pessoas fazendo o tratamento, se cuidando, comendo suas marmitas, sorrindo e brincando. Em diversos momentos, falei: ‘Meu Deus, será que eu estou em Ituverava?’. Que coisa mais linda.
E aquilo mexeu muito comigo, porque eu não tinha conhecimento de tal fato. Tenho amizade há muitos anos com o Busa (Luiz Carlos Rodrigues, presidente da Santa Casa), nos encontramos, fazemos festas. Assim como tenho amizade com a Cláudia Maria Carreira Frata (administradora da Santa Casa), a quem devo muito, pois minha senhora teve um problema no Mato Grosso, e quem cuidou da minha senhora foi a Cláudia, aquela maravilha de pessoa. Por isso, a Santa Casa de Misericórdia de Ituverava é o que é, esse exemplo de amor.
Um dia, o Busa me convidou, pediu até para eu fazer parte da diretoria, eu lhe disse: ‘Busa, eu não tenho essas condições nem mais estrutura’, mas ele foi me mostrar a UTI da instituição e eu saí da Santa Casa de boca aberta.
Parabéns à Santa Casa, parabéns Ituverava, parabéns à Tribuna de Ituverava com nosso irmão José Luiz, que deu uma brilhante sequência ao trabalho de seu pai. Vamos em frente, vamos lutando, pois sabemos que temos muitos problemas e que as dificuldades são muito grandes. Mas devemos lembrar que o mapa do nosso país remete à imagem de um coração e foi Deus que nos mandou isso. Vamos viajar pelo nosso Brasil, andar pelo nosso Brasil e ver as coisas que tem o nosso Brasil, para compreendermos o que fazem com esse chão tão abençoado que foi Deus que nos mandou”.

Mensagem

“Acredito que precisava de um pouco, um pouco não, um milímetro de amor, pelo menos nesses dirigentes do nosso país, sejam eles, municipais, estaduais e federais. Perdoem-me o que vou dizer, mas é uma decepção ver que tantas pessoas estão muitos quilômetros longe de Deus. Eu tenho comigo a vida eterna, não no corpo, não vou levar a Santa Maria, não vou levar a empresa, não vou levar nada.
Mas talvez vou deixar alguma coisa de bom, como palavras boas, as coisas boas. Mas vocês que tem um comprometimento com a população brasileira, vocês que estão dirigindo esse país, olhem para o céu, olhem para a lua, para as estrelas e vejam se enxergam a Deus. O que vocês vão levar daqui meus irmãos?
Vamos procurar colocar amor, como a gente tenta colocar aqui na empresa, pois se alguém disser que eu sou patrão, é mentiroso. São meus filhos, eu não sou nada mais que ninguém aqui dentro da empresa, com a graça de Deus.
Se Deus me levar amanhã, a empresa vai continuar, continuar com sucesso, continuar com tudo, porque netos, genros, filhos estão preparados para tocar em frente e eles aprenderam assim.
É só o amor que constrói, não existe outro meio de construir se não for por intermédio do amor. Sei que tenho muitos erros, sei que sou erradíssimo, em muitos sentidos, sei que faço coisas que não devemos fazer, mas o que eu vou fazer? Ainda estou na carne, não é? Mas se eu tento, peço perdão.

Agradecimento

Vista aérea da empresa Santa Maria, na
Rodovia Anhanguera

“Quero lhe agradecer muito, José Luiz, e agradecer a vocês todos da Tribuna de Ituverava por essa oportunidade. Para mim, é um desabafo dizer isso, mas quem sabe alguém, um vereador ou a nossa irmã prefeita, sem querer desrespeitar, mas quero dizer uma coisa a vocês: vocês todos que dirigem um país, vocês têm um compromisso muito grande com Deus, e morrer vai morrer o corpo, o espirito, a alma não morre, porque se espirito e a alma morressem, então Jesus teria morrido e sabemos que não morreu.
Até hoje ninguém achou no planeta Terra, uma doutrina, ou religião, que ensinasse que Jesus morreu. Ele não morreu e serve de exemplo para nós todos, então, vocês é quem sabem, vocês é que pensam, mas o conselho e a opinião estão dados. Agora, ajam como quiserem.
Meu amigo José Luiz, que Deus lhe abençoe, que você tenha muito sucesso nesse jornal tão abençoado que nós temos aqui, e aos nossos amigos, como eu disse, das faculdades, da Santa Casa, da UPL, que ainda não havia mencionado, que Deus lhes abençoe, pois vocês vieram para Ituverava para ajudar e para crescer.
O que nós também precisamos, quem sabe, com esses trabalhos que a Tribuna de Ituverava está fazendo, é que surjam novas indústrias para a nossa cidade. Para se evoluir, o município precisa de mais empresas, como trabalha a Indústria Santa Maria, buscar um fornecedor, um consumidor do nosso produto lá no Nordeste, em qualquer parte do país, ou até fora do país.
Que Deus abençoe a nossa cidade, que Deus abençoe essa Tribuna de Ituverava maravilhosa, a nossa Santa Casa, as indústrias, o comércio, e que todos nós eliminemos a inveja, a grandeza, o poder e, que nenhum de nós tem e ninguém tem.
O que temos é poder para transmitir o amor, uma palavra boa, uma palavra saudável, então, vamos eliminar o que é mau e pedir a Deus, que com esse projeto de 70 anos do jornal Tribuna de Ituverava consiga mexer com as políticas da nossa cidade, com os dirigentes, sejam eles, varredor de rua, a prefeita, ou prefeito, ou quem quer que seja.
Obrigado de coração por tudo, que Deus abençoe sempre e obrigado Ituverava pelos meus netos e bisnetos. E a todos vocês, amigos, que Deus os abençoe, muito obrigado por tudo”.