Era uma vez em Hollywood se inspira em atores antigos

Rick Dalton não existe, mas Leonardo Di Caprio e Quentin Tarantino mergulharam na história de diversos atores icônicos para construir a personalidade do protagonista do filme Era Uma Vez em Hollywood, que estreia no Brasil no dia 15 de agosto.
Em uma entrevista da Vanity Fair, ator e diretor falam sobre como Era Uma Vez em Hollywood mistura ficção com algumas doses de realidade. E a inspiração de Rick Dalton, segundo Tarantino e DiCaprio, acabou se tornando uma mistura de várias personalidades de atores da TV que tentaram sua sorte no cinema em Hollywood.
A trajetória do ator que está em Sete Homens e um Destino tem boa dose nas influências de Rick Dalton. “Eu assisti uns 12 episódios de Wanted: Dead or Alive e escolhi uns 6 ou 7 para Leo assistir porque eu sei que ele gostaria”, disse Tarantino. “E Leo não era grande fã do McQueen. Algo raro para um ator da idade dele. No fim das contas, ele gostou dos episódios e dele na série. Meu trabalho foi mostrar isso para ele”, conta.
DiCaprio também citou o ator Ralph Meeker, famoso por Kiss Me Deadly. “São muitos atores talentoso da TV que não conseguiam fazer essa transição para os filmes. Ele é um deles. Acho que tivemos muita afinidade com ele. Ele é um grande ator, mas uma geração inteira nunca ouviu falar dele”, explicou. “Ele é o um dos meus favoritos de todos os tempos”, completou Tarantino. O ator da série Alias Smith and Jones, Pete Duel, também contribuiu muito para a construção de Rick Dalton. O ator, que tirou sua própria vida aos 31 anos, sofria com alcoolismo e problemas psicológicos.
“Lembro-me bem porque naquela época foi a primeira vez que ouvi falar de suicídio. ‘Como assim? Ele é o cara mais legal da TV’”, disse Tarantino.
O cineasta explicou que boa parte dos problemas de Pete Duel estariam ligados aos problemas psicológicos, incluindo um transtorno bipolar nunca diagnosticado. “Para contornar as mudanças de humor, ele bebia em excesso para se automedicar. Leo pegou isso”, disse Tarantino.
“Rick já tem um problema com a bebida, mas esse pêndulo de emoções se tornou uma coisa interessante que deu um bom terreno para Leo trabalhar com o personagem”, completa.

As ligações entre os filmes de Tarantino

A Noiva
Mia Wallace (a personagem de Uma Thurman em Pulp Fiction) diz que atuou em uma série cuja trama lembra o enredo de Kill Bill, no qual Uma interpreta a Noiva.

Alabama
Mr. White (Cães de Aluguel) menciona que sua antiga parceira chamava-se Alabama. Ela seria Alabama Whitman, de Amor à Queima-Roupa.

Paula Schultz
O túmulo de onde a Noiva escapa em Kill Bill tem na lápide a inscrição “Paula Schultz”, morta em 1893. O sobrenome é o mesmo do personagem de Christopher Waltz em Django Livre. Seria a esposa dele?

Jack Scagnetti
Seymour Scagnetti, citado por Mr. Blonde em Cães de Aluguel, seria parente do detetive Jack Scagnetti (Assassinos por Natureza).

Crazy Craig
Crazy Craig Koons, que aparece em um cartaz de “Procurado” em Django Livre, seria antepassado do Capitão Koons (Pulp Fiction).

Mr. Blonde
O nome verdadeiro de Mr. Blonde (Cães de Aluguel) é Vic Vega. Ele seria irmão de Vincent Vega (o personagem de John Travolta em Pulp Fiction).

Pete Hicox
O bandido Pete Hicox (Os Oito Odiados) seria antepassado do soldado Archie Hicox (Bastardos Inglórios) – aquele que faz o número “três” com as mãos.

Aldo Raine
Aldo Raine (Bastardos Inglórios) é avô de Floyd (Amor à Queima-Roupa) – ambos são interpretados por Brad Pitt.