Escolha é do segurado

A relação entre segurado e seguradora já foi muito boa a décadas atrás, todavia, talvez pelo elevado número de fraudes perpetradas por alguns espertinhos, algumas seguradoras passaram a atuar com verdadeiros espiões, como também “procurar pelo em ovo” com o fito de negar a cobertura da indenização.
Tudo bem, mas tudo também tem limite.
Algumas negativas as quais nos deparamos são totalmente absurdas, e acabam levando os casos para a Justiça.
É importante saber, que se a segurada aprova por exemplo o orçamento apresentado pelo segurado de um reparo em seu veículo, este pode escolher a oficina a qual quer levar, já que a seguradora tem a obrigação de ressarcir a oficina pelas despesas, nos limites do orçamento aprovado por ela.
Nesse esteio foi a posição do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no caso em que o segurado fez os reparos do veículo em oficina cujo orçamento de R$ 4.400,00 havia sido recusado pela seguradora, a qual autorizou o conserto no valor máximo de R$ R$ 3.068,00.
Segundo os Ministros do STJ, os serviços foram prestados, o segurado pagou a franquia e firmou um termo para que a oficina pudesse cobrar da companhia de seguros a diferença de valores e a norma da Superintendência de Seguros Privados (Susep) que garante expressamente a livre escolha de oficinas pelos segurados. S.
“Assim, ressalvados os casos de má-fé, o conserto do automóvel é feito conforme o orçamento aprovado, nos termos da autorização da seguradora”.
O ministro lembrou que as seguradoras comumente oferecem benefícios especiais para o uso da rede de credenciadas, mas é direito do segurado escolher a empresa na qual o veículo será reparado, já que poderá preferir uma de sua confiança.
Então bastante cuidado no momento de escolher e fechar o negócio com a seguradora, sendo importante ter um corretor de seguros ao seu lado para orientar e auxiliar na escolha de uma empresa a qual não irá te criar mais problemas quando da ocorrência de um problema. José Eduardo Mirândola Barbosa é advogado e jornalista