Escritora denuncia bullying através de suas obras literárias

Por mais que, atualmente, o bullying seja discutido em todos os lugares, como nas telenovelas, rádios, jornais e internet, é fato que, no Brasil, esse fenômeno começou a ser pautado há pouco tempo.
A jovem autora Ana Beatriz Brandão, com cinco livros publicados, entre eles, dois que virarão filme, fala que o bullying fez parte de sua infância. Ana relata que um dos seus refúgios para fugir das investidas abusivas dos colegas da escola foi a literatura e a escrita. Em suas obras, ela sempre faz questão de denunciar em algum momento esse tipo de agressão.
A polêmica da prática muitas vezes gira em torno dos limites entre brincadeira e abuso. Quando uma piada passa a ser bullying? Por que o colega se importou tanto com o que o outro disse, sendo que não foi “nada demais”? Essas questões são recorrentes nos pensamentos populares, mas o que muitas pessoas ainda não conseguem é ter a capacidade de se colocar no lugar do outro e entender que a mesma palavra pode atingir outras pessoas em níveis diferentes. Cada um tem uma história de vida e atribui um peso ao que ouve. Isso permeia o conceito de empatia, outro ponto muito debatido, principalmente, por estar em variadas lutas sociais. Por isso, problemas tão antigos, como o bullying continuam existindo e todos precisam dar as mãos para combatê-lo.

Ávida leitora

Com cinco anos, a autora já era uma ávida leitora, aos treze iniciava uma jornada cercada de magia junto aos seus personagens e atualmente, com dezoito anos, já publicou cinco livros e embarca na forte emoção de acompanhar o filme baseado em seus dois best-sellers, “O Garoto do Cachecol Vermelho” e “A Garota das Sapatilhas Brancas”.
Ana Beatriz Brandão vive intensas aventuras todos os dias e celebra suas publicações, desde a mais recente obra “Sob a Luz da Escuridão”, até aquela que pela primeira vez cativou o público, “Sombra de um Anjo”.
Não esquece as emoções vivenciadas em “Caçadores de Almas”, que também tem um valor inestimável à jovem escritora. Seu maior sonho é poder continuar contando suas histórias para todos aqueles que, assim como ela, acreditam que os livros são a melhor forma de tocar o coração das pessoas e mudar suas vidas.