Estudo aponta existência de planetas com vida inteligente na Via Láctea

Existem outras civilizações como a nossa no Universo? Esta é uma das perguntas mais intrigantes para a humanidade desde que o mundo é mundo. E um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, promete ser mais um passo rumo à resposta.
A pesquisa, publicada neste mês, no Astrophysical Journal, sugere que mais de 30 civilizações com vida inteligente podem existir na Via Láctea. De acordo com os pesquisadores, este é um enorme avanço em relação a outras estimativas, que estabelecem números de zero a bilhões.
Para chegarem a esse número, os cientistas assumiram que formas inteligentes de vida em outros planetas são parecidas com as da Terra. “Deveria haver pelo menos algumas dezenas de civilizações ativas em nossa galáxia, sob a suposição de que são necessários 5 bilhões de anos para que a vida inteligente se forme em outros planetas, como na Terra”, afirmou Christopher Conselice, que liderou o estudo, em comunicado.

Teoria evolutiva
Como explicam os pesquisadores, o complexo método utilizado por eles considera a teoria evolutiva, mas em escala cósmica, e é chamado de limite copernicano astrobiológico. Eles também levaram em consideração outros aspectos astronômicos, como a existência de estrelas perto dos locais onde essas sociedades estariam.
“A prática clássica para estimar o número de civilizações inteligentes se baseia em adivinhar valores relacionados à vida, em que as opiniões sobre tais questões variam substancialmente”, disse Tom Westby, principal autor da pesquisa. “Nosso estudo simplifica essas suposições usando novos dados, fornecendo uma estimativa sólida do número de civilizações em nossa galáxia”, destacou.
Segundo a pesquisa, o número de civilizações depende de há quanto tempo elas estão ativamente enviando sinais de sua existência ao espaço, como transmissões de rádio de satélites e televisão. Segundo os cientistas, se outras sociedades tecnológicas existem há tanto tempo quanto a nossa, cerca de 36 civilizações inteligentes devem existir na Via Láctea.

Vida alienígena
O professor de Harvard que acredita que podemos estar diante de uma prova de vida alienígena. No entanto, a distância entre a Terra e esses mundos seria de, em média, 17 mil anos-luz, o que dificultaria a detecção e a comunicação com a nossa tecnologia atual. Além disso, é possível que sejamos a única civilização dentro da Via Láctea que ainda não esteja extinta, por exemplo.
“Nossa pesquisa sugere que a busca por civilizações extraterrestres inteligentes não apenas revela a existência de como a vida se forma, mas também nos dá pistas de quanto tempo nossa própria civilização durará”, afirmou Conselice.
“Se descobrirmos que a vida inteligente é comum, isso revelaria que nossa civilização poderia existir por muito mais do que algumas centenas de anos; por outro lado, se identificamos que não existem civilizações ativas em nossa galáxia, é um mau sinal para nós em longo prazo”, completou.