FE de Ituverava firma convênio com inpEV

A parceria envolverá a coordenadoria de Extensão da Fafram e a Central de Recebimento de Embalagens

Central de Recebimento de Embalagens de Ituverava

A Fundação Educacional de Ituverava assinou dia 6 fevereiro, um convênio de cooperação entre o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (InpEV) e a Faculdade Dr. Francisco Maeda.
Através do convênio, será formalizada uma parceria para o desenvolvimento de projetos de educação ambiental em Ituverava e região. Estiveram presentes no ato da assinatura o gerente de operações da inpEV – Antônio Carlos Amaral, o presidente da FE – Pedro César Galassi, o diretor da Fafram – Márcio Pereira, a coordenadora de extensão da Fafram – Regina Eli de Almeida Pereira, o diretor executivo da FE – Roberto Inácio Barbosa, a supervisora da Central de Embalagens de Ituverava – Bianca Oliveira Gonçalves, além de outras autoridades.
A parceria envolverá a coordenadoria de Extensão da Fafram e a Central de Recebimento de Embalagens Vazias de Ituverava, permitindo que a instituição dê continuidade ao Programa de Educação Ambiental (PEA), realizado nas escolas de Ituverava e região há mais de 10 anos. “Além de propiciar a oportunidade do desenvolvimento de novos projetos na área de sustentabilidade”, afirma a coordenadora de extensão da Fafram, Regina Eli de Almeida Pereira.

Continuidade
“Já trabalhávamos com o inpEV quando o gerenciamento da Central de Recebimento era responsabilidade da Fafram e, esse convênio, simboliza a continuidade da oferta desse serviço, que é tão importante não só para a instituição, mas para toda a comunidade de Ituverava e região”, observa.
“Sempre trabalhamos com o PEA e, em mais de 90 escolas o projeto já foi desenvolvido, e continuará sendo executado graças a essa parceria. Além disso, continuaremos oferecendo apoio ao recebimento itinerante de embalagens de agrotóxicos para pequenos agrícolas e vamos começar a desenvolver maiores projetos voltados a sustentabilidade”, declara a coordenadora.

Atitude Integradora
Segundo o gerente de operações da inpEV, Antônio Carlos Amaral, o convênio engloba um dos valores básicos da inpEV, que é a atitude integradora. “Firmar um convênio que atende as demandas do campo, se utilizando de instrumentos itinerantes e sendo realizado pela faculdade com o apoio da central, é fundamental para o sistema continuar se consolidando e garantindo que, agricultores, distribuidores, indústrias e órgãos públicos executem operações eficiente do Sistema Campo Limpo na região”, afirma.
“É uma atitude importante para que possamos pensar em novos passos, visando o crescimento e o atendimento de usuários de defensivos agrícolas, orientando-os para a devolução das embalagens”, enfatiza.

Projetos

Amaral ressalta que os projetos antes realizados pela Central de Recebimentos, serão mantidos. “Como o Dia Nacional do Campo Limpo, o Programa de Educação Ambiental, além de outras campanhas envolvendo alunos da instituição. Nosso intuito é aperfeiçoar esses projetos cada vez mais. Em 2019, tivemos 90 escolas inscritas no PEA e este ano, esse número será aumentado para 100, o que sinaliza crescimento, uma vez que educação é sempre um bom investimento”. Observa.
“O convênio também prevê dois estagiários dos cursos de extensão da Fafram, para atuar na Central de Recebimento e a oportunidade para que os alunos possam visitar e utilizar o espaço, além de desenvolver pesquisas que envolvam trabalhos de conclusão de curso. Contar com o apoio da Fafram é muito importante, devido à visibilidade que a revista Nucleus nos proporciona, um veículo de comunicação reconhecido por suas publicações científicas”, completa o gerente de operações da inpEV.

Importância da parceria

O presidente da FE, Pedro Galassi comemora a parceria. “Firmar esse convênio garante a continuidade de um projeto que já vinha sendo realizado na Central de Recebimentos, que durante doze anos consecutivos foi a primeira colocada a nível nacional, no Programa Implantar, da inPEV”, afirma.
“O projeto de extensão visa aprimorar os conhecimentos na área ambiental, bem como desenvolver um trabalho social que envolve a comunidade em benefício do meio ambiente. É um trabalho de suma importância que contempla não apenas a instituição, mas os estudantes da extensão e a comunidade de Ituverava e região, conscientizando sobre a destinação correta das embalagens de agrotóxicos, bem como contribuir para o desenvolvimento rural sustentável”, conclui Pedro César Galassi.