Filme de cineasta brasileiro alerta sobre riscos do bullying

No último final de semana, o filme Bullies, do cineasta Daniel Bydlowski, foi exibido no Cleveland International Film Festival, que é creditado pelo Oscar, é um dos mais reconhecidos na questão de mostrar ao mundo o poder das artes cinematográficas para educar, divertir e celebrar a experiência da inclusão.
A produção do cineasta Daniel Bydlowski traz a reflexão sobre o bulliyng e levanta a questão principal: Quando a velha e boa zoeira entre amigos vira humilhação e tortura psicológica? Sua experiência no colégio com essa violência o motivou a roteirizar e dirigir esta obra.
Seu personagem principal é um garoto de 10 anos chamado Eugene que sofre bullying na escola. Até que um dia, enquanto se escondia de quem o atormentava, descobre um esconderijo que pode o salvar de todos os seus problemas. Porém, para isso ele precisa estar disposto a abrir mão de outras coisas que gosta. O curta é uma adaptação da própria vida do diretor, que sofreu bullying quando era mais novo e hoje quer alertar sobre esse sério problema.
Ele ainda direciona o filme para as crianças de mesma faixa etária, para que elas se identifiquem e não se sintam sozinhas nessa jornada.
O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema.

Conscientizar

Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos.
Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em Newport Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con San Diego recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.