Gestão de ituveravense na reitoria da UFTM foi um sucesso

A professora ituveravense Dra. Ana Lúcia de Assis Simões, reitora da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Professora Dra. Ana Lúcia de Assis Simões desenvolveu um trabalho reconhecido pelas conquistas entre 2014 e 2018 

Está chegando ao final a gestão da professora ituveravense Dra. Ana Lúcia de Assis Simões, como reitora da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), uma das mais conceituadas instituições de ensino do país. Ao longo da gestão, ela trabalhou incansavelmente em prol de um ensino de qualidade e, ao mesmo tempo, humanizado.
Logo que foi eleita reitora, em maio de 2014, Ana Lúcia concedeu entrevista à Tribuna de Ituverava e afirmou que seus principais projetos incluíam áreas estratégicas da UFTM, como Planejamento e Gestão; Áreas Acadêmicas (Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária); Gestão de Pessoas; Assistência Estudantil; Infraestrutura Física; Tecnologia da Informação e Comunicação de Dados; Comunicação; Sustentabilidade Ambiental e Responsabilidade Social; Acompanhamento e Avaliação do Plano e da Gestão.
Hoje, finalizando sua gestão, é possível perceber que a reitora realmente conseguiu atingir seus objetivos, apesar das dificuldades enfrentadas diante da crise econômica do país.
“Assumimos a reitoria da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), no dia 21 de agosto de 2014, para a 05gestão de 2014 a 2018, com a proposta de manter e fortalecer os grandes pilares da universidade: Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária, por meio de um modelo de gestão mais participativo, pela corresponsabilização das áreas acadêmicas e administrativas e pela adoção de ferramentas gerenciais apropriadas ao contexto universitário”, afirma.

Agravamento da crise
“Enfrentamos, desde o início, as consequências do agravamento da crise política e econômica no país, que trouxeram, para as universidades, a dura realidade de cortes e contingenciamentos orçamentários. As contenções ocasionaram a revisão de planos e realinhamento de ações para adequar as necessidades institucionais às circunstâncias vigentes”, ressalta.
Já no início do ano de 2015, a reitoria tomou a decisão de reduzir gastos, revisando e readequando contratos; redimensionando a força de trabalho terceirizada, a emissão de diárias e passagens, locação de imóveis; orientando para a diminuição do consumo de itens básicos, dentre outras medidas que possibilitaram a manutenção das atividades essenciais da universidade e asseguraram a oferta ininterrupta dos serviços, o respeito aos compromissos com fornecedores, prestadores de serviços e estudantes.
“Em fevereiro de 2015, inauguramos o Campus Universitário da UFTM em Iturama-MG, realizando um projeto institucional e um sonho daquela cidade e região que já perduravam por 10 anos. Essa ação contribuiu para a interiorização das vagas do Ensino Superior Público, facilitando o acesso à universidade a centenas de cidadãos”, ressalta Ana Lúcia.

Conquistas
De acordo com a Dra. Ana Lúcia de Assis Simões, apesar do contexto de recursos exíguos, a reitoria não só manteve o padrão de funcionamento da instituição, como também conseguiu promover seu crescimento e desenvolvimento, concluindo todas as obras iniciadas e construindo novos ambientes projetados em sua gestão.
“Reestruturamos e melhoramos as condições de oferta de serviços em tecnologia da informação e comunicação; alocamos as Comissões Permanentes; investimos na manutenção e aquisição de equipamentos e mobiliários; implantamos a Editora Universitária; consolidamos ações de cooperação internacional; incorporamos novos bens imóveis ao patrimônio da UFTM, por meio de doações, dentre outras conquistas e avanços”, destaca.

Trabalho foi marcado por  ampliação da universidade 

Ao longo da gestão de Dra. Ana Lúcia de Assis Simões, todas as áreas da universidade foram fortalecidas e ampliadas.
“No ensino, houve a consolidação de cursos, de ferramentas e regulamentações acadêmicas, aprimoramento do Sistema Acadêmico e do apoio ao ensino. Na Pesquisa e Pós-graduação, obtivemos a ampliação no número de projetos de pesquisa e inovação tecnológica, de grupos de pesquisas cadastrados no CNPq, de cursos e programas, tanto lato sensu como stricto sensu”, ressalta.
“A extensão universitária também foi potencializada contando, hoje, com várias ações, programas e projetos cadastrados. O Centro Cultural foi reestruturado e criamos o Departamento de Desenvolvimento Cultural”, afirma.
Segundo a reitora, a área de gestão de pessoas aprimorou os processos de trabalho, promoveu atualização de normativas, inovou os procedimentos de realocação de pessoas e incrementou as ações de capacitação, com ênfase no desenvolvimento humano e profissional.

Trabalhos
“A Pró-reitoria de Planejamento (PROPLAN) desenvolveu intenso trabalho para concluir o processo iniciado desde a transformação da instituição em universidade, promovendo a reorganização institucional e seu desenvolvimento, cuidando da Informação e Pesquisa Institucional e do planejamento sustentável”, diz.
“Por sua vez, a Pró-reitoria de Administração (PROAD) passou por profundo processo de reestruturação, reorganizando as sub-áreas, reordenando os fluxos de trabalho, instituindo procedimentos operacionais e critérios que asseguram a seriedade e a transparência da execução orçamentária e financeira”, relata.
No que se refere à assistência estudantil, como lembra Ana Lúcia, os maiores desafios foram gerir os insuficientes recursos para a demanda crescente de necessidades advindas dos estudantes diante da realidade econômica atual, assim como promover ações que possibilitassem a adaptação, a permanência e o sucesso dos estudantes em seus objetivos de formação pessoal e profissional.

Transparência

“É oportuno salientar que, no ano de 2017, a UFTM figurou entre as cinco universidades públicas federais consideradas mais transparentes do país, de acordo com pesquisa realizada. Esse fato demonstra o compromisso da instituição com a publicidade de seus atos e processos de trabalho”, destaca.
Outra importante conquista foi que o Hospital de Clínicas da UFTM, administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), passou por um processo de reestruturação nas dimensões organizacional, estrutural, tecnológica, administrativa, educacional, científica e assistencial.
“Ressaltamos que, a despeito das dificuldades encontradas no período, o hospital manteve sua capacidade de atendimento à população e, inclusive, ampliou e diversificou a oferta de serviços especializados em saúde”, observa.

Reitora manteve empenho e seriedade durante a gestão 

A Dra. Ana Lúcia de Assis Simões destacou algumas das muitas ações desenvolvidas na UFTM, ao longo dos últimos quatro anos.
“Encerramos nosso trabalho com a certeza do muito que fizemos diante das peculiaridades do momento vivenciado no país, mas com a clareza do muito que ainda há por realizar pela nossa instituição. A universidade encontra-se em condições reais de continuidade de funcionamento, seja do ponto orçamentário-financeiro, seja pelas questões organizacionais e acadêmicas”, diz.
“Sabemos o quanto é dinâmico o cotidiano de uma universidade e das necessidades que afloram e renovam continuamente. Assim, esperamos que o processo de melhoria contínua não se interrompa, que o Ensino, a Pesquisa e a Extensão Universitária prossigam qualificados e fortalecidos, enfim, que a UFTM continue sendo reconhecida e valorizada pelos relevantes serviços que sempre prestou à sociedade”, completa.
Currículo
Dra. Ana Lúcia, professora titular da UFTM, é formada em Enfermagem pela Fundação de Ensino Superior de Passos (MG), possui mestrado e doutorado pela USP e tem os cursos de especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica e Capacitação Pedagógica na Área de Saúde.
Atuou como vice-coordenadora do programa de pós-graduação Stricto Sensu (mestrado e doutorado) da UFTM e coordenou o Departamento de Enfermagem na Assistência Hospitalar e o curso de graduação em Enfermagem da UFTM.
Foi vice-presidente da Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba, realizou o curso para dirigentes universitários pela UFSC de Santa Catarina, é líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Gerenciamento na Enfermagem e na Saúde e professora do curso de Enfermagem da UFTM. Ela foi vice-reitora antes de se tornar reitora, em 2014.

Destaque

Ana Lúcia de Assis Simões é casada com o empresário ituveravense Nivaldo Rego Simões e tem os filhos Ana Carolina de Assis Simões, que é dentista, e Bruno de Assis Simões, jornalista e filósofo. Ela é filha do bancário aposentado José Nascimento de Assis e Maria D. Marchi de Assis, e são suas irmãs as professoras Fátima Cristina Assis Manfrin e Maria José de Assis (“Tuca”).
Como reitora, ela desenvoveu um extraoridanáerio trabalho na UFTM, que é uma das mais conceituadas instituições de ensino do país e, é mais uma ituveravense que se destaca e diginifica o nome da sua terra.