Luiz Gustavo Borges conquista medalha pela seleção em revezamento

Filho do multimedalhista Gustavo Borges, Gustavinho trilha o caminho do pai

Luiz Gustavo Borges, filho do multimedalhista olímpico Gustavo Borges, fez na quinta-feira, 4 de julho, sua estreia por uma seleção brasileira adulta e, já conquistou sua primeira medalha internacional. Ao lado de Gabriel Ogawa, Marco Antônio Ferreira Júnior e Felipe Ribeiro, ele conquistou prata no revezamento 4x100m livre, na Universíade de Napoli, na Itália.
“Muita felicidade. É minha primeira seleção adulta e, com esses caras ao meu lado, não tem sentimento melhor. Eu estou muito feliz por estar aqui na Itália representando o Brasil. É muita felicidade, pois a gente queria uma medalha”, emociona-se Luiz Gustavo.
“Sabíamos que uma medalha de ouro era mais difícil, porque os Estados Unidos vinham muito fortes. Pensamos em um bronze, talvez prata, e quando ganhamos a medalha de prata a gente ficou bem feliz. A expectativa era de uma medalha, mas a gente não sabia qual”, afirma.
Medalhas
O time brasileiro cravou o tempo de 3min15s27. O ouro ficou com os Estados Unidos (3min11s03) e o bronze, com a Itália (3min15s91). Mais conhecido como Gustavinho, Luiz Gustavo abriu a campanha para a equipe nacional com 49s57 e foi seguido por Marco Antônio (48s00), Gabriel Ogawa (49s57) e Felipe Ribeiro (48s13).
Nas eliminatórias do revezamento, o filho do ituveravense Gustavo Borges, maior medalhista olímpico da natação nacional havia feito sua melhor marca da vida nos 100m: 49s23. Com o feito, Gustavinho, de 20 anos, repete o feito de seu pai, que também foi medalhista de prata na Universíade de Fukuoka, em 1995. Naquela edição no Japão, há 24 anos, Gustavo também ficou em segundo lugar nos 100m livre.
Em Napoli, Gustavinho ainda tem os 50m livre e, talvez, algum outro revezamento para nadar.

Faculdade

Muito focado em concluir a faculdade de Administração na Universidade de Michigan, onde estuda e onde seu pai se formou e brilhou nas piscinas, Gustavinho passou o 2018 quase inteiro sem competir em piscina longa (50m). Agora, em 2019, deu um salto para a elite nacional no Troféu Brasil/Maria Lenk, em abril passado. Cravou suas melhores marcas pessoais nos 50m livre (22s21) e nos 100m livre (49s62) e assegurou vaga no time que foi a Napoli. Fonte G1