Márcio Antônio Pereira da Silva

Idade: 41 anos
Casado com: Solteiro
Profissão: Auxiliar de produção na UPL
Filiação: Esmeralda Pereira da Silva
Onde nasceu: Ituverava

Já jogou futebol? Qual a posição? E por quais times?
Joguei futebol, mas não profissionalmente, apenas por diversão. Era zagueiro firme, que saia jogando com categoria (risos).

Para qual time você torce? Por quê?
Torço desde muito pequeno pelo maior de todos, o inigualável Sport Club Corinthians Paulista. Me identifiquei com esse time que amo muito e sempre.

Para qual time você jamais torceria? Dê três motivos. E para qual torceria em segundo lugar?
Nunca e, sendo redundante, jamais torceria pelo Palmeiras, porque o Porco é nosso arquirrival e, na verdade, odeio esse time e não me vejo nunca torcendo para ele. Em segundo, terceiro e quarto lugares torceria pelo Corinthians de novo.

Qual foi o melhor jogador que já atuou pelo seu time e qual a melhor formação de todos os tempos? Descreva um momento inesquecível do seu time.
Não tenho dúvida que da minha geração foi Ronaldo Fenômeno, como o apelido já diz. A melhor formação foi a que conquistou a Libertadores da América, o Mundial de Clubes e a Recopa. Um momento inesquecível foi quando ganhamos o Mundial de Clubes de 2012.
Cássio (Júlio César); Alessandro, Chicão, Leandro Castán (Paulo André) e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex (Paolo Guerrero); Romarinho; Emerson Sheik (Liédson) e Jorge Henrique (Willian). Técnico: Tite.

Você acredita que com as contrações de jogadores de alto nível que vieram do exterior melhorou o nível do futebol brasileiro? Acredita que essa política deve continuar este ano? Por quê?
Melhorou sim e acho que está política deveria continuar. Por outro lado, também acho que os clubes devem ter coerência e não pagar salários exorbitantes, porque aqui a crise está feia.

Você considera que os técnicos estrangeiros são melhores do que os brasileiros? Por quê?
Claro que não, eles são bons mas, os brasileiros só não estão em alto nível por falta de incentivo, o que os estrangeiros tem bastante.

Na sua opinião, os campeonatos regionais, como o Paulistão, despertam o mesmo interesse que o Brasileirão? Por quê?
Depois do Brasileirão, o Campeonato Paulista é o mais competitivo e desperta no torcedor o mesmo interesse.

Você acredita que times de menor expressão (do interior) possam chegar à final do Paulistão 2020? Quais times você acredita que poderiam chegar à final?
Acredito que sim pois, hoje o futebol está muito competitivo e, não tem dessa de time grande ou menor. Acho que o Guarani e a Ferroviária estão fortes.

Qual sua opinião sobre VAR? Ele veio para ficar?
O VAR é uma novidade muito boa, e veio para ficar, é preciso apenas mais rapidez nas decisões.

Você considera o técnico Tite o ideal para comandar a Seleção Brasileira? Se não, qual você escolheria?
Não tenho dúvida, é o melhor e mais bem preparado técnico para a Seleção Brasileira no momento.

Qual sua opinião das mulheres no futebol. Elas estão ganhando espaço? Entendo que as mulheres estão fazendo bonito e, a cada dia, ganhando mais espaço no futebol.

Você acha que o futebol feminino pode, em curto espaço de tempo, ter a mesma repercussão que o masculino?
Penso que sim, desde que o futebol feminino tenha o mesmo olhar que o dos homens por parte dos organizadores e investimentos.

Você prefere o sistema de competição por mata-mata, como no Campeonato Paulista, ou por pontos corridos, como no Brasileirão? Por quê?
Não tenho dúvida, prefiro o sistema de mata-mata, pois acho mais emocionante.
Cite o nome completo de três torcedores de outros times e mande um recado para eles. Mande também um recado para todas as torcidas do Brasil.
Luiz Gustavo de Paula: meu ‘cumpadi’, o seu Santos esse ano vai porque o Timão está feio. Weverton Souza (“Batata”): se seu Palmeiras não ganhar nada este ano, pode para com esse monte de contratações. Lucas Lemes “Custelinha”: não se entusiasme muito com seu São Paulo porque ele não vai, como de costume.
A todos torcedores do Brasil: vamos torcer com respeito. Zueira tem que existir e é legal, mas sem violência ou agressão.

RIVAISSIMINIMIGOSNUNCA