Vídeo: Médico fala sobre passado, presente e futuro da cidade – Parte 2

José Antônio Hiesinger Rodrigues muito respeitado e admirado, devido à sua inteligência e humildade

O médico e professor, José Antônio Hiesinger Rodrigues

A Tribuna de Ituverava publica, nesta edição, a segunda parte da entrevista do médico e professor José Antônio Hiesinger Rodrigues, no Projeto: Ituverava 70 anos de desenvolvimento sustentável, com personalidades falando a respeito do município e seu futuro.
Médico radiologista e assistente e professor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Dr. José Antônio também atende em Ribeirão Preto no Instituto de Radiologia e, nos finais de semana, na CLUII – Clínica de Ultrassom e Imagem de Ituverava e no Hospital Maternidade de Ituverava (São Jorge).

Dias atuais
Falando de Ituverava nos dias atuais, em relação à agricultura, praticamente não temos mais a soja e o milho, pois a cana-de-açúcar tomou conta de tudo. Se por um lado não é bom, por outro temos coisas boas também: a cana-de-açúcar, hoje, com as usinas que vieram aqui para a região, proporciona muito emprego e também retorno financeiro para a cidade, então vamos ver o lado bom da monocultura da cana-de-açúcar.
A pecuária caiu muito, não há dúvidas, mas penso ainda que vai reagir. Notícias recentes apontam que a exportação da carne bovina aumentou 20% em relação aos anos anteriores, então penso que a economia local hoje gira em torno da cana-de-açúcar e um pouco em torno do gado, mas o que estão sendo expoentes em Ituverava nos dias atuais são duas as áreas: Educação e Saúde.

Educação
Na área educacional, temos hoje a Fundação Educacional de Ituverava. Lembro-me como vibrei quando estava no primeiro ou segundo ano de faculdade de Medicina, e soube que Ituverava iria ter a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. E a faculdade, graça aos méritos, principalmente citando a Loja Maçônica União Ituveravense, que deu um empurrão muito grande para o seu desenvolvimento e, hoje, praticamente temos quase todos os principais cursos do país, sendo que vale a pena destacar o curso de Agronomia, que está entre as cinco melhores do Brasil.
Esses dias, conversando com uma paciente da cidade de Luís Eduardo Magalhães (BA) e comentando sobre ter muitos agrônomos de Ituverava na sua cidade, ela disse que é impressionante o quanto na Bahia falam sobre Ituverava. Também me disse que dois filhos de grandes empresários tiveram ofertas para estudar em diversas faculdades em Brasília, Goiânia, Salvador, mas os pais quiseram que cursassem em Ituverava, pois os agrônomos aqui formados são os melhores do país. Deixo aqui os meus parabéns à Fundação Educacional de Ituverava que, cada vez mais, tem se desenvolvido e proporcionado coisas boas para nossa cidade.

Saúde
“Na área da Saúde, a Santa Casa de Ituverava cresceu muito daquela época para cá. Ainda temos o antigo Hospital São Jorge (do Dr. Nelson), hoje Hospital e Maternidade de Ituverava, o AME, que foi eleito como um dos melhores do Estado de São Paulo, e a Unimed Norte Paulista, que no Estado de São Paulo é considerada uma das melhores, não só pelos excelentes médicos que fazem parte do corpo clínico, mas também pelos seus gestores e funcionários. Vale lembrar também que recentemente mais de 80 médicos vieram para a cidade, para o Revalida. São médicos brasileiros formados no exterior e médicos bolivianos, paraguaios, equatorianos, que vem para fazer o Revalida. Ituverava é uma das poucas cidades do Brasil em que isso acontece. Ainda temos a hemodiálise, o setor de oncologia, a ressonância magnética e mais de sete clínicas de ultrassom.
Hoje temos uma rivalidade sadia entre a Santa Casa e o Hospital São Jorge, que ajuda a desenvolver muito a área de saúde. Duvido que no Brasil exista alguma cidade do mesmo porte de Ituverava que tenha todo esse complexo: dois hospitais e toda a aparelhagem que ela dispõe”.

Cultura e esporte na atualidade
No passado tivemos o Moacir França que publicou vários livros, e hoje, temos o Celso Barbosa Sandoval, que tem vários livros publicados, mantendo a tradição. Também temos outros ituveravenses se destacando no cenário cultural, como a atriz Gilda Nomacce e o cantor Eliezer Ribeiro Soares, que está no The Voice Brasil.
No esporte não temos mais a Associação Atlética Ituveravense, mas temos ainda muitas pessoas que se destacam, como a jovem Sara Teoro (neta da Tuca [Maria Aparecida Gomes Teoro) no tênis e muitos outros. Há meses realizei um exame em uma paciente daqui de Ituverava, que reside nos Estados Unidos, e está no ranking americano de tênis. Pedi que ela divulgasse mais a nossa cidade e falasse mais sobre ela para a nossa imprensa, pois Ituverava representa o Brasil, e isso é muito importante”.

Clubes
“Em termos de clubes, hoje temos o Ituverava Tênis Clube, com grandes números de tenistas se destacando nacionalmente. Falando em clubes assistenciais, hoje temos o Lions Clube, o Rotary Club e as Lojas Maçônicas, todos contribuindo para o bem da cidade”.

Economia atual
“Falando de Ituverava de hoje, a economia está difícil, mas temos as várias agências bancárias, agências de automóveis e um setor imobiliário forte, pois graças à Saúde e à Educação, teve um boom, o que fez com que o aluguel de um imóvel em Ituverava tenha um preço bem maior que em Ribeirão Preto.
Digo porque resido nas duas cidades e posso comparar. Além disso, recentemente uma amiga disse que o filho havia passado na faculdade aqui em Ituverava, mas infelizmente não cursaria porque os aluguéis estavam mais caros que em Ribeirão e Campinas, por isso o filho estava desistindo de fazer aqui.
Ainda temos uma rede de assistência a máquinas agrícolas, que é a Busa [Industrial e Comercial Ltda], hoje um destaque nacional. Também não poderíamos deixar de falar das Indústrias Santa Maria, que hoje leva o nome da nossa cidade para o país inteiro, por meio do trabalho da família do Sr. Rubens [Rubens de Paula Vieira Andrade], esse lutador”.
O futuro da cidade
“Ituverava no setor agrícola já foi melhor. Hoje temos somente a cana-de-açúcar, mas quem diz que no futuro não poderá acontecer com a cana o que aconteceu com o café? O solo de Ituverava é comparado ao solo Tchernozion, da Ucrânia, que é um dos melhores do mundo. Já na pecuária vejo vários colegas que estão em outros estados, como Mato Grosso, mas, se houver futuramente um espaço voltam para Ituverava.
Sobre Educação, a Fundação Educacional de Ituverava não parou de crescer e não vai parar, pois tenho certeza que nos próximo anos nós teremos aqui em nossa cidade, o curso de Odontologia e depois futuramente o curso de Medicina. Em termos de Saúde, Ituverava é uma referência e, em curto espaço de tempo, vamos nos igualar a Franca. Então o paciente SUS não precisará se deslocar para ser atendido, tenho certeza de que Ituverava se tornará uma Franca melhorada nesta área.

Distrito industrial

Na área industrial, sabemos que Ituverava precisa de um distrito industrial. Precisamos de um ponto de localização estratégico, lembrando que ao norte temos Uberaba, ao sul Ribeirão Preto, à leste Franca e depois Barretos, cidades que podem dar suporte a Ituverava.
É preciso incentivos fiscais, que são extremamente importantes para que indústrias venham para Ituverava. Os políticos sabem melhor que eu, como fazer isenções de impostos.
Na área de transportes Ituverava, hoje. está muito bem servida no quesito rodovia [Rodovia Anhanguera], mas o que poderia melhorar é a ferrovia. Temos a linha antiga Mogiana, o escoamento pela ferrovia e também o aeroporto que, com algumas melhorias, poderia trazer investimentos para a cidade. Temos mão de obra universitária, técnica e qualificada que também é importante. Hoje muitos jovens cursam escolas técnicas e por não ter campo e empregos, acabam se mudando para outras cidades. Tendo indústrias, melhorando a convergência industrial, tenho certeza que haverá muito mais empregos”.

Planejamento urbano

“Outra coisa que penso é em um planejamento urbano, que poderia ser feito junto a arquitetos e engenheiros, para a cidade não crescer desordenadamente. Conversando com um engenheiro de São Paulo, ele me disse que as casas hoje estão se tornando forte apache, foi onde eu disse que é problema de segurança, e ele me disse que problema de segurança está em todo lugar, então creio que, talvez a verticalização, com prédios ou condomínios fechados aconteça, porque segurança também é um problema sério no país. É preciso pensar em urbanização para a cidade.
Penso ainda que o setor de imóveis iria crescer bastante e poderíamos nos tornar uma cidade turística, pois temos uma cachoeira maravilhosa, para isso seria muito importante a revitalização do Parque Recreio.
Também temos uma vinícola [Marchese di Ivrea] que produz vinhos excelentes, que poderia ter apoio para crescer ainda mais. Além disso, temos a obra do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, que, certamente, atrairá muitas pessoas para a cidade.
Ituverava do futuro, além de ser uma cidade com educação, saúde, setor imobiliário e todo esse planejamento, pode ser uma cidade turística. Sou ituveravense com muito orgulho, pois aqui existe cultura, lazer e um povo muito empenhado. Hoje temos muitos deputados estaduais e federais que lutam por Ituverava, como o Arnaldo Jardim que trabalha muito, e no passado tivemos a representatividade do deputado Hélvio Nunes da Silva (“Zito”)”.

Tribuna de Ituverava

“Antigamente tivemos o Sr. Adhemar Cassiano e, hoje, temos o José Luiz Alves Cassiano que conseguiu traduzir tudo aquilo que o pai sempre quis, assim como temos os irmãos Gerson Fontebassi da Silva e Almir Fontebassi da Silva, filho do Cleso Barbosa da Silva, o jornalista José Maurício Amendola e o José Manoel Ramos Pereira, filho do professor Manoel Lázaro Pereira.
O que me chama atenção no jornalismo de Ituverava é o fato da imprensa escrita ser muito forte, pois nos dias de hoje, tudo é online. Em Ribeirão Preto, por exemplo, onde resido a maior parte de tempo, o jornal impresso acabou. Então, parabenizo o jornalismo ituveravense na figura do José Luiz [Alves Cassiano], onde conseguimos ter ainda a imprensa escrita.
É um dos poucos lugares do Brasil onde isso acontece e, tenho certeza, de que a imprensa escrita de Ituverava não vai acabar nunca, porque é muito gostoso esperar chegar o jornal impresso em casa.
O fato da Tribuna de Ituverava chegar aos 70 anos de atividades, enfrentando os altos e baixos da economia, demonstra uma trajetória maravilhosa do Sr. Adhemar Cassiano e do José Luiz, então meus parabéns ao jornal pelo seu aniversário de 70 anos”.

Agradecimentos

“Agradeço à Tribuna de Ituverava, ao José Luiz Alves Cassiano e ao Sr. Adhemar Cassiano (in memoriam) que tive o prazer de conversar muito, que era um dos melhores amigos de meu pai [José Franco Rodrigues], e, hoje, sou grande amigo do José Luiz.
Parabenizo o jornal pelos seus 70 anos, agradeço tudo isso que o José Luiz tem feito e faço um pedido para que nunca deixe a imprensa se torne somente online. Que ele não nade contra a modernidade, mas se lembre sempre que a imprensa escrita tem um grande valor.
Meus parabéns ao jornal pelos 70 anos em memória do saudoso Sr. Adhemar Cassiano. Hoje a Tribuna de Ituverava é muito bem dirigida pelo José Luiz [Alves Cassiano] e sua esposa Tina (Maria Ernestina Martins Cassiano), pela irmã (Maria Aparecida Alves Cassiano), pela filha (Ana Cristina Martins Cassiano Dantas), pelo genro (Daniel Dantas), e por toda a família.
A família é sempre muito importante em todos os setores e devemos valorizá-la mais, pois ela está na base da economia de uma cidade, na base do desenvolvimento e na tradição do jornalismo. Obrigado por tudo, pela entrevista e por ter a oportunidade de falar para a nossa querida Ituverava”.