Modelo de visita ampliada é implantado na Santa Casa

UTI da Santa Casa
de Ituverava

A Santa Casa de Ituverava implantou no mês de julho, o projeto de visita humanizada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O objetivo é ampliar o tempo de permanência dos acompanhantes com os pacientes internados, com o intuito de tornar mais confortável à estadia do interno, acelerar a recuperação e garantir a sua segurança.
De acordo com a equipe multidisciplinar da Santa Casa de Ituverava, o horário de visitação de acompanhantes foi estendido para oito horas e, dessa forma, o paciente poderá ficar mais próximo de seus familiares e amigos por meio das visitas mais prolongadas.
Contudo, a estadia do acompanhante dependerá da avaliação psicossocial realizada previamente pela psicóloga e assistente social, que também são responsáveis pela orientação sobre normas e rotinas do setor. Dessa forma, a visita ocorre com a participação em conjunto do médico, enfermeiros, psicólogas e fisioterapeutas.

Psicóloga
Para realizar a visita estendida, as pessoas serão recebidas pela psicóloga na sala de espera da UTI, que realizará uma série de procedimentos, entre eles, o acolhimento, avaliação psicológica e intervenção breve de apoio e orientação além do preparo psicológico. Segundo a equipe multidisciplinar da Santa Casa, o acolhimento familiar é um dos pontos positivos do projeto de visita ampliada na UTI e, uma das ferramentas importantes para a recuperação do paciente, que se sente mais seguro e apresenta menos ansiedade, desconfortos emocionais e estresse, que são desencadeados devido ao contato com o ambiente de UTI.

Elogio

A acompanhante de um paciente, Denise de Cássia Barbosa, elogia ai iniciativa. “Foi muito bom essa visita ampliada, porque a gente fica mais sossegado, estando com nosso familiar, ele fica mais calmo, a gente também fica mais sossegado porque vemos o que está acontecendo de verdade. É muito bom, notamos uma melhora muito boa dele, porque a hora que a pessoa tem alguém perto, já é uma segurança para ele, ele não se sente sozinho, abandonado, ele tem uma companhia com ele, é bem mais seguro”.