Nova série da Netflix foca em obra literária de fantasia

A próxima grande aposta da Netflix é levar às telas The Witcher, a obra de fantasia do autor polonês Andrzej Sapkowski que inspirou uma trilogia de jogos pela CD Projekt RED. A saga, publicada inteiramente durante a década de 1990, acompanha o bruxo Geralt de Rivia, um mutante mercenário especializado em caçar monstros. O projeto já está em desenvolvimento há uns bons meses, mas os detalhes ainda são poucos.
O processo de casting de The Witcher foi oficialmente iniciado em junho de 2018, mas a produção já tinha escolhido o responsável para viver o Lobo Branco desde abril: Henry Cavill, conhecido por interpretar o Superman nos filmes da DC, será Geralt de Rivia no programa.
Cavill não é novato em séries de TV e nem produções de época. Antes de ser o Homem de Aço, o ator ganhou notoriedade ao interpretar Charles Brandon ao longo de quatro temporadas de The Tudors. Melhor ainda, ele revelou em 2018 ser um grande fã da franquia The Witcher, tendo lido todos os livros e jogado Wild Hunt ao menos duas vezes.
Ainda que a ideia da série tenha partido de uma equipe polonesa – afinal, The Witcher é um marco da cultura do país e seu povo está envolvido até o pescoço no projeto – quem encabeça a adaptação é a norte-americana Lauren S. Hissrich.
Assim como Cavill, a produtora não é nenhuma novata quando se trata de TV: Hissrich tem créditos como roteirista em séries de peso como The West Wing e Private Practice, além de experiência na Netflix ao ter feito roteiro e produção-executiva de séries da Marvel como Demolidor e Os Defensores.

Baseada em livros
A série não se baseará nos games, e sim nos cinco romances e vários contos que Andrzej Sapkowski escreveu ao longo dos anos 80 e 90 no congelante país europeu.
Assim, as coisas são um pouco diferentes: o universo da saga, até sua metade, ainda não é tomado por uma enorme guerra entre impérios; Ciri, afilhada de Geralt que serve como protagonista de Wild Hunt, é meramente uma criança; o bardo Dandelion se chama Jaskier e a égua Carpeado tem o nome de Plotka (até nas versões traduzidas), por algum motivo.
Mesmo assim, tudo que conquistou legiões de fãs nos games está lá: as criaturas, os humanos tão monstruosos quanto elas, o cinismo de Geralt, seus interesses românticos e, é claro, uma jornada medieval épica.
A série de TV deve tocar em todos os assuntos dos livros – incluindo as diversas críticas que Sapkowski fez ao abordar temas de racismo, sexismo e afins através da fantasia.
Além disso, por The Witcher ser parte da cultura eslava, o seriado também respeitará isso, sem americanizar a história. “Obviamente haverá os ambientes eslavos, mas o que me fascina é o espírito das pessoas, a resistência durante conflitos, a recusa de baixar a cabeça e deixar a história acontecer ao seu redor. Há uma brutalidade, um humor com garra. É isso que quero captar”, explica a produtora.
Como tudo isso funcionará ainda não é certo, mas o próprio Sapkowski está servindo como consultor ao programa – e o autor, por mais ranzinza que seja em relação a adaptações da sua obra, até elogiou a abordagem do seriado durante uma viagem de Hissrich à Polônia. Assim talvez valha a pena dar um voto de confiança.

Série adulta 

Ao que parece, The Witcher terá um corte mais adulto. A informação foi revelada pela showrunner, Lauren S. Hissrich, no Twitter. O primeiro aviso é que o seriado não é para crianças.
“Apenas assisti um corte de The Witcher com Ben (filho da showrunner), e o veredito é: essa série não é para uma criança de cinco anos. Não é mesmo”, afirmou a chefe da série da Netflix.
Liderado por Henry Cavill, o elenco de The Witcher ainda conta com Jodhi May (Game of Thrones) como Rainha Calanthe; Björn Hlynur Haraldsson (Fortitude) como o marido dela, Eist; Adam Levy (Knightfall) como Mousesack; MyAnna Buring como a comandante da academia de magia Aretuza, Tissaia; Mimi Ndiweni e Therica Wilson-Read como Frangilla e Sabrina; Millie Brady como a princesa rebelde Renfri; e Freya Allan (A Guerra dos Mundos) e Anya Chalotra (Wanderlust) como, respectivamente, Ciri e Yennefer.
No momento, a adaptação da Netflix está entrando em gravações. Algumas especulações dão conta de que a série possa chegar na plataforma de streaming em 2019. The Witcher ainda não tem previsão de estreia.