O seu universo

No que se refere aos universos, o mais bonito é que eles oferecem infinitas possibilidades. O seu, por exemplo, tem se expandido a cada segundo bem diante dos meus olhos. Ele se revelou sem pressa, mas com intensidade, assim como as coisas mais bonitas da vida.
No princípio, tímido e confuso, ele se apresentou como um planeta. Um planeta lindo, é claro. Com sua própria atmosfera e seu próprio ritmo de rotação e translação… Fiquei deslumbrado, mas também curioso. Aquele planeta era enorme, mas ainda assim não fazia jus à sua alma. E naquele dia, pela primeira vez, me dei conta da sua imensidão.
Percebi que ao lado daquele planeta havia outros. Alguns maiores, outros menores. Cada um de uma cor, de um jeito… E como o astronauta que fui quando criança, não poderia deixar passar a oportunidade de explorar cada um deles. Conheci novas formas de vida a cada sorriso que me arrancava e diferentes gravidades todas as vezes em que você me tirava do chão.
E quando conhecia o sexto ou sétimo planeta, você me mostrou que também era feita de estrelas. Desde as que se escondem nos seus olhos até as que brilham em cima da sua cabeça todas as vezes que você fala sobre os seus sonhos.
Depois vieram luas, sóis e anéis – como os de Saturno, só que ainda mais bonitos. Vieram lembranças, medos, anseios, utopias e desabafos. Vieram seus pés descalços, precisos em cada passo, embora um Big Bang estivesse acontecendo dentro de você.
Nos momentos de solidão, desespero ou fúria vieram as estrelas cadentes e os meteoros, fazendo de colisões novas crateras, mas também novas oportunidades de recomeço.
E agora, quando olho para você, enxergo ali um universo que nunca conhecerei inteiro, porque ele está sempre em expansão e em movimento.
Tentar conhecer algo por completo é mera ilusão e um tanto quanto perigoso. Contudo, assim como uma criança que deita no chão para olhar as estrelas pela primeira vez, me sinto diante de uma imensidão de mistério, beleza, poesia e amor todas as vezes em que percebo que cabe um universo inteiro bem ali dentro dos seus olhos castanhos.

Bruno da Silva Inácio cursa mestrado na Universidade Federal de Uberlândia, é especialista em Gestão Cultural, Literatura Contemporânea e em Cultura e Literatura.
Ele Cursa pós-graduação em Filosofia e Direitos Humanos e em Política e Sociedade. É autor dos livros “Gula, Ira e Todo o Resto”, “Coincidências Arquitetadas” e “Devaneios e alucinações”, além de ter participado de diversas obras impressas e digitais.
É colaborador dos sites Obvious e Superela e responsável pela página “O mundo na minha xícara de café”.