Operação Eminência Parda afasta prefeito de Morro Agudo e prende 5 por suspeita

O prefeito de Morro Agudo (SP), Gilberto Barbeti (PDT), foi afastado do cargo pela Justiça por 90 dias no âmbito da Operação Eminência Parda, deflagrada na manhã de quarta-feira, 11 de abri, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
Ao todo, seis mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça. Apenas um mandado de prisão não foi cumprido e uma servidora pública é considerada foragida. A Operação contou com o apoio de 60 agentes da Polícia Militar.
O vereador Elvis Júnior Marques, o Juninho Serralheiro (PT), e o secretário de Serviços Urbanos, Transportes e Obras Públicas, João Marcos Ficher, estão entre os presos. O ex-assessor de Assuntos Urbanos, Tiago Stolarique, que é marido da atual secretária da Saúde, também foi preso.
Stolarique foi candidato a prefeito pelo PT nas eleições de 2012 e é aliado do atual chefe do Executivo. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que Stolarique doou R$ 3.050 para a campanha de Barbeti nas eleições de 2016.
A chefe do Setor de Licitações e Despesa da Prefeitura, Mara Cristina Braga Pereira, e a secretária do prefeito, Elisiane Ferreira, também estão presas. Uma servidora, cujo nome não foi divulgado, segue foragida. Todos serão levados para a cadeira de Franca (SP).
Um mandado de busca e apreensão foi cumprido na casa do prefeito. A Prefeitura também é alvo da Operação e está lacrada. Na serralheria do vereador, os policiais apreenderam munição de calibres 22 e 38. Na casa do secretário de Obras, foram apreendidas duas espingardas.
As prisões são temporárias por cinco dias, prorrogáveis por mais cinco. O Gaeco informou que o afastamento do prefeito também pode ser prorrogado por mais 90 dias.

STF decide manter ex-ministro Palocci em prisão preventiva 

Por 7 votos a 4, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na quinta-feira, 12 de abril, manter na cadeia o ex-ministro Antônio Palocci, preso desde setembro de 2016 em Curitiba no âmbito da Operação Lava Jato.
O tribunal entendeu que não há ilegalidade nem excesso na duração da prisão preventiva – o ex-ministro está detido há mais de um ano e meio e reivindicava recorrer em liberdade da condenação a 12 anos e 2 meses de detenção imposta pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal.
Votaram por manter Palocci preso os ministros:
Edson Fachin (relator), Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Rosa Weber, Celso de Mello e Cármen Lúcia Pela libertação de Palocci, votaram: Marco Aurélio Mello, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes

Gilmar tem medo de perder o emprego

Alternando citações em alemão, e portanto incompreensíveis para quem só fala português, com palavrórios em juridiquês igualmente ininteligíveis para quem se expressa em língua de gente, Gilmar Mendes acusou Sergio Moro de agir como se fosse Deus.
Está explicada a furiosa ofensiva do juiz dos juízes contra o magistrado que personifica a Operação Lava Jato: como se acha o único deus togado, Gilmar Mendes está com medo de perder o emprego. O mais recente ídolo do PT continua caprichando na pose de Senhor da Verdade e da Razão.
Quem vê as coisas como as coisas são continua enxergando em Gilmar Mendes um ministro da defesa dos bandidos de estimação que envergonha o Supremo Tribunal Federal. Esta semana ele lutou para libertar o delinquente Antônio Palocci.

Cármen Lúcia assumiu  Presidência ontem, sexta-feira 

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, assumiu a Presidência da República ontem, sexta-feira, 13 de novembro. Segundo o STF, Cármen Lúcia deverá despachar do Palácio do Planalto, sede da Presidência.
A ministra tem previsão de ficar no exercício da Presidência entre a tarde desta sexta-feira e o sábado, já que o presidente Michel Temer vai ao Peru para participar da Cúpula das Américas.
Como o Brasil não tem vice-presidente no momento, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, são os seguintes na linha sucessória. Contudo, eles também realizam viagens ao exterior.
Rodrigo Maia embarcou quinta-feira, dia 12, para o Panamá. Lá, ele participa de reunião do Parlatino, o parlamento latino-americano. A previsão é de retorno também no sábado. Eunício embarcou para uma visita oficial ao Japão, com previsão de retornar apenas no fim de semana seguinte.

Presidente Michel Temer dá posse a nove ministros 

O presidente Michel Temer dia 10 de abril, empossou nove ministros, no Palácio do Planalto. Tomam posse Eduardo Guardia (Fazenda), Rossieli Soares da Silva (Educação), Alberto Beltrame (Desenvolvimento Social), Marcos Jorge (Indústria, Comércio Exterior e Serviços), Esteves Colnago (Planejamento), Leandro Cruz Fróes da Silva (Esporte), Vinícius Lummertz (Turismo), Antônio de Pádua de Deus (Integração Nacional) e Moreira Franco (Minas e Energia).
Dyogo Oliveira, que deixou o Ministério do Planejamento para assumir o BNDES, e Moreira Franco são os únicos que deixaram o ministério mas que continuam no governo. Temer, no entanto, ainda não definiu quem ocupará a Secretaria-Geral da Presidência da República no lugar de Moreira Franco.
A maioria dos ex-ministros retoma os mandatos na Câmara dos Deputados e concorrerá à reeleição para o cargo, mas alguns decidiram, pela primeira vez, buscar uma vaga no Senado, que desta vez terá renovação de dois terços dos parlamentares, cujo mandato é de oito anos.