Ortopedista participa de curso em maior centro de dor do Brasil

O Dr. Fábio Farias participou de um curso na Clínica Singular – Centro de Controle da Dor

Dr. André Mansano, um dos principais especialistas em dor do Brasil e referência mundial e Dr. Fábio Farias

No mês de dezembro, o ortopedista Dr. Fábio Farias participou de um curso na cidade Campinas, no maior centro de dor do Brasil, a Clínica Singular – Centro de Controle da Dor.
A clínica é pioneira na América Latina na conquista da certificação “Excellence in Pain Practice Award”, do World Institute of Pain (WIP), tornando-se um dos doze centros de referência em dor no mundo. É o único centro do Brasil.
Além de se aprofundar mais sobre temas relacionados à dor, o médico aprimorou técnicas e acompanhou vários procedimentos desenvolvidos pela clínica, que inclusive é referência por realizar procedimentos minimamente invasivos para alívio da dor, como Radiofrequência, Bloqueios Anestésicos, PRP, Botox e Terapia por Ondas de Choque.
“A clínica conta também com uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, equipe de enfermagem, psicólogos, fisioterapeutas, onde o conceito é que o paciente deve ser abordado em todas as áreas para se chegar ao mais preciso diagnóstico em relação às suas dores”, afirma o Dr. Fábio Farias.
“Todo tipo de dor deve ser tratado para que o paciente possa levar uma vida melhor. As principais dores abordadas no curso foram a fibromialgia, dores de cabeça e nas costas, síndromes na coluna pós-cirurgia, dores associadas ao câncer, dor complexa regional, neuralgia pós-herpética, entre outras”, observa o ortopedista.

Especialização
Dr. Fábio Farias conclui especialização em dor este ano, área em que atua já há algum tempo. Atualmente, está implementando uma abordagem diferente nos pacientes com dores crônicas, introduzindo um atendimento também multidisciplinar.
O médico conta com o apoio da enfermeira Nayara Vieira Campi Farias, sua esposa, que passará a aplicar questionários de dor para cada paciente e fazer acompanhamento semanal com o intuito de intensificar a assistência ao paciente e melhorar a sua qualidade de vida.

O profissional

Dr. Fábio Farias nasceu em Novo Horizonte, região de São José do Rio Preto, e é casado com a Nayara Vieira Ciampi Farias. Ele é ortopedista pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), especialista em Pé e Tornozelo. Atua na equipe de Ortopedia da Santa Casa de Ituverava e atende na Clínica Bittar. O contato também pode ser através do Instagram @drfabiofarias ou pelo telefone (16) 3839-2700.

Fibromialgia se manifesta com dor no corpo todo

A síndrome da fibromialgia (FM) é uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo todo, principalmente na musculatura. Junto com a dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga (cansaço), sono não reparador (a pessoa acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais. Uma característica da pessoa com FM é a grande sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura pelo examinador ou por outras pessoas.
A fibromialgia é um problema bastante comum, visto em pelo menos em 5% dos pacientes que vão a um consultório de Clínica Médica e em 10 a 15% dos pacientes que vão a um consultório de Reumatologia.
De cada 10 pacientes com fibromialgia, sete a nove são mulheres. Não se sabe a razão porque isto acontece. Não parece haver uma relação com hormônios, pois a fibromialgia afeta as mulheres tanto antes quanto depois da menopausa. A idade de aparecimento da fibromialgia é geralmente entre 30 e 60 anos. Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes.

Diagnóstico
O diagnóstico da fibromialgia é clínico, isto é, não se necessitam de exames para comprovar que ela está presente. Se o médico fizer uma boa entrevista clínica, pode fazer o diagnóstico de fibromialgia na primeira consulta e descartar outros problemas.
Os critérios de diagnóstico da fibromialgia são: dor por mais de três meses em todo o corpo, presença de pontos dolorosos na musculatura (11 pontos, de 18 que estão pré-estabelecidos). Deve-se salientar que muitas vezes, mesmo que os pacientes não apresentem todos os pontos, o diagnóstico de FM é feito e o tratamento iniciado.

Sintomas
O sintoma mais importante da fibromialgia é a dor difusa pelo corpo. Habitualmente, o paciente tem dificuldade de definir quando começou a dor, se ela iniciou de maneira localizada que depois se generalizou ou que já começou no corpo todo. O paciente sente mais dor no final do dia, mas pode haver também pela manhã. A dor é sentida “nos ossos” ou “na carne” ou ao redor das articulações.
Existe uma maior sensibilidade ao toque, sendo que muitos pacientes não toleram ser “agarrados” ou mesmo abraçados. Não há inchaço das articulações na FM, pois não há inflamação nas articulações. A sensação de inchaço pode aparecer pela contração da musculatura em resposta à dor.
A alteração do sono na fibromialgia é frequente, afetando quase 95% dos pacientes. No início da década de 80, descobriu-se que pacientes com fibromialgia apresentam um defeito típico no sono – uma dificuldade de manter um sono profundo. O sono tende a ser superficial e/ou interrompido.
Com o sono profundo interrompido, a qualidade de sono cai muito e a pessoa acorda cansada, mesmo que tenha dormido por um longo tempo – “acordo mais cansada do que eu deitei” e “parece que um caminhão passou sobre mim” são frases frequentemente usadas. Esta má qualidade do sono aumenta a fadiga, a contração muscular e a dor.

O que causa a Fibromialgia?

Não existe ainda uma causa única conhecida para a fibromialgia, mas já existem algumas pistas porque as pessoas têm esta síndrome. Os estudos mais recentes mostram que os pacientes com fibromialgia apresentam uma sensibilidade maior à dor do que pessoas sem fibromialgia.
Na verdade, seria como se o cérebro das pessoas com fibromialgia estivesse com um “termostato” ou um “botão de volume” desregulado, que ativasse todo o sistema nervoso para fazer a pessoa sentir mais dor. Desta maneira, nervos, medula e cérebro fazem que qualquer estímulo doloroso seja aumentado de intensidade.
A fibromialgia pode aparecer depois de eventos graves na vida de uma pessoa, como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção grave. O mais comum é que o quadro comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo. O motivo pelo qual algumas pessoas desenvolvem fibromialgia e outras não ainda é desconhecido.