Polícia apura suspeita de maus-tratos após morte de cão em São Joaquim da Barra, SP

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar a suspeita de maus-tratos contra um cachorro que morreu após ser encontrado abandonado em uma casa em São Joaquim da Barra (SP) no fim de semana.

O animal foi resgatado no domingo (6) após a denúncia de um vizinho do imóvel, mas teve danos neurológicos graves e não resistiu. Um vídeo obtido pela EPTV, afiliada da TV Globo, mostra o cão amarrado e fraco no momento do resgate.

A reportagem foi ao imóvel à procura dos moradores, mas ninguém foi encontrado.

Os donos do animal, que teriam viajado, segundo o delegado Hugo Ancelmo Ravagnani, já foram identificados. A pena para o crime de maus-tratos de animais varia de três meses a um ano de detenção.

“O animal estava amarrado dentro de casa, desnutrido. Uma bicicleta havia caído em cima dele e, ao tentar se desvencilhar da bicicleta, as patas ficaram presas nos raios dos pneus. Ele deve ter ficado agonizado por dias sem a presença de ninguém”, afirma o delegado.

Cachorro abandonado

O funileiro Cláudio Roberto Tomaeli foi quem resgatou o animal e avisou a polícia. Ele conta que trabalhava em sua loja quando sua mulher ligou avisando ter ouvido um cachorro agonizando na casa vizinha.

“Cheguei em casa, subi o muro correndo, o cachorro estava caído, com a bicicleta em cima dele, e as patinhas da frente estavam travadas no raio da bicicleta. Eu olhei, não tinha ninguém, então pulei o muro, tirei a bicicleta de cima do cachorro, joguei água na cara dele, a pata de trás já estava dura, cheia de mosquitos. A gente jogou água na cara dele, deu água para ele beber, ele até deu uma levantadinha e deitou de novo”, conta.

O funileiro relata que, em seguida, ligou para a Polícia Militar, que foi ao local atender a ocorrência e acionou um médico veterinário. Segundo ele, não havia ninguém na residência além do cachorro.

“A impressão foi de que ele estava em estado de abandono. Parecia que estava há alguns dias sem alimentação e sem água. Ele estava bem debilitado, bem fraco, deitado, sem força para levantar. Tentamos dar água, mas ele não conseguia”, afirma o PM Tiago Lucchezi.

O cachorro chegou a ser socorrido e avaliado naquela noite pelo veterinário Heitor Gomes Bérgamo.

O médico conta que o cachorro, com quadro grave de choque agudo, foi submetido a tratamento com soro, injeção de adrenalina e reanimação por massagem cardíaca por ao menos três vezes antes de ficar em observação, mas não resistiu.

“Ele teve uma pequena melhora, a gente conseguiu estabilizar o quadro. A gente esperou durante toda a noite, com soro, para ver se ele tinha alguma evolução no quadro neurológico, mas infelizmente, pela manhã, a evolução foi quase nenhuma nessa parte neurológica e, logo na sequência, antes que pudéssemos fazer os exames necessários, ele veio a falecer”, diz.

Para ele, o animal estava abandonado há vários dias e deve ter sofrido desidratação em decorrência do calor, além de desnutrição.

Fonte: www.g1.globo.com