Rei Leão já faturou mais de R$ 200 milhões na China

Com estreia em circuito comercial realizada nesta semana, o novo “O Rei Leão” já é hit no segundo maior mercado cinematográfico do mundo (atrás apenas dos Estados Unidos): a China.
No país asiático – que de acordo com especialistas deverá se tornar o líder mundial em faturamento nos cinemas até 2022 -, a versão “live action” do desenho lançado em 1994 pela Disney estreou e em três dias faturou US$ 54,7 milhões (R$ 204,5 milhões) nesse curto período.
A soma indica que a superprodução de US$ 250 milhões (R$ 934,7 milhões) provavelmente vai liderar as bilheterias globais no próximo fim de semana, e inclusive com chances de fazer isso batendo recordes, uma vez que se trata daquele que é tido como o filme mais aguardado do ano.
Como nem tudo são flores, a crítica especializada não está caindo de amores pelo longa que tem Beyoncé Knowles, Donald Glover e Seth Rogen no time de dubladores do original em inglês.
O consenso até agora entre essa turma é que “O Rei Leão” de 2019, com seus efeitos especiais de cair o queixo, é um espetáculo para os olhos, porém não chega a tocar o coração. Mas o público chinês, pelo visto, discorda.

Sinopse

Simba (Donald Glover) é um jovem leão cujo destino é se tornar o rei da selva. Entretanto, uma armadilha elaborada por seu tio Scar (Chiwetel Ejiofor) faz com que Mufasa (James Earl Jones), o atual rei, morra ao tentar salvar o filhote.
Consumido pela culpa, Simba deixa o reino rumo a um local distante, onde encontra amigos que o ensinam a mais uma vez ter prazer pela vida. A classificação indicativa do filme é 10 anos.