Retratos da timidez

A timidez pode ser uma característica bastante interessante. Está presente em inúmeras pessoas e ainda assim parece algo novo, curioso e desconhecido. Paradoxalmente, para alguns (confesso que me incluo nesse grupo), a timidez pode atrair até como um mecanismo de flerte, mesmo que involuntário. Em meio a uma multidão, a pessoa que menos quer ser notada acaba sendo a mais percebida para muitos.
A jovem Marion Munoz se encaixa na descrição. Bastante tímida, ela não gosta nem de se mostrar em frente às câmeras. A situação poderia passar despercebida caso ela não namorasse, justamente, um fotógrafo.

Fotografar

Mikaël Theimer sempre procurou convencer a sua namorada a deixá-lo fotografá-la. Como não teve sucesso, ele teve uma ideia: retratar, através de suas fotos, a timidez da jovem.
Com olhar sensível, Theimer conseguiu imagens muito bonitas de Marion Munoz em atividades do cotidiano, como ler, tomar café ou passear. Conseguiu passar a naturalidade e descontração, provando que a beleza realmente possui diversos caminhos, e que padrões muitas vezes são meras imposições desconexas. Veja algumas das imagens:

Bruno da Silva Inácio cursa mestrado na Universidade Federal de Uberlândia, é especialista em Gestão Cultural, Literatura Contemporânea e em Cultura e Literatura.
Ele Cursa pós-graduação em Filosofia e Direitos Humanos e em Política e Sociedade. É autor dos livros “Gula, Ira e Todo o Resto”, “Coincidências Arquitetadas” e “Devaneios e alucinações”, além de ter participado de diversas obras impressas e digitais.
É colaborador dos sites Obvious e Superela e responsável pela página “O mundo na minha xícara de café”.