Santa Casa fez mais de 156 mil atendimentos em 2018

Desse total, 72% foram através do SUS (Sistema Único de Saúde), que não gera custos ao paciente

Pronto Socorro da Santa Casa que atende 24 horas por dia

Ituverava é uma cidade privilegiada por contar com uma instituição de saúde tão moderna e humanizada quanta a Santa Casa. Somente nos últimos meses, por exemplo, ocorreram duas conquistas históricas: a instalação do Centro de Tratamento Oncológico “Sueli Rodrigues” e os primeiros passos para a futura instalação de uma unidade de AVC.
Além dessas conquistas, os números de 2018 comprovam a importância da entidade para o município e região. Somente no ano passado foram feitos 156.223 atendimentos, sendo 72% através do SUS (Sistema Único de Saúde), 26% por meio de convênios e apenas 2% particulares.
“Os números vêm se mantendo estáveis nos últimos três anos e o grande diferencial é a complexidade dos procedimentos realizados devido à estrutura física, tecnológica e humana disponibilizada pela Santa Casa”, afirma a administradora da instituição de saúde, Cláudia Maria Carreira Frata, em à entrevista à Tribuna de Ituverava.
“O número de atendimentos pelo SUS comprova que cumprimos com a nossa missão principal, que é apoiar a atender os menos favorecidos”, ressalta.

Aberta 24 horas
Cláudia ainda lembra que “a Santa Casa é a única porta da saúde que está aberta 24 horas por dia. Faça sol ou faça chuva; seja feriado ou dia útil, nossa equipe sempre está de prontidão”, observa.
Outro ponto relevante da instituição é que, ao contrário de um número enorme de Santas Casas do Brasil que estão endividadas, a nossa é totalmente equilibrada e sempre promovendo novos investimentos, com o objetivo de aprimorar a qualidade do atendimento, que já é considerado referência regional.

Gestão empresarial

“A Santa Casa de Ituverava, a partir dos anos 90, adotou modelo de gestão empresarial, para desenvolvimento geral da entidade. A instituição atravessava uma grave crise econômica/financeira e, os primeiros passos foram buscar soluções para viabilizar a manutenção do atendimento”, lembra Cláudia. “Concomitantemente, todos os processos de trabalho foram revistos e aprimorados para a melhoria do atendimento prestado”, diz. Desde então, a Santa Casa busca inovação tecnológica, melhoria na estrutura física, qualificação de seus profissionais e um corpo clínico competente.

Indicadores comprovam alto grau de capacidade de investimento

Entrada principal da Santa Casa

Ainda segundo Cláudia, o Conselho, Diretoria Executiva, Corpo Clínico e os colaboradores da instituição estão honrados em apresentar o resultado do balanço de 2018. “Os principais indicadores, além do número de atendimentos, são: liquidez corrente de 1,61, sendo que para cada 100 investidos, há 1,61 de dinheiro e valores que se transformarão em dinheiro, o que é suficiente para liquidar obrigações em curto prazo; liquidez geral de 1,30, o que demonstra que a situação financeira é suficiente para quitar as dívidas com terceiros; e solvência geral de 2,62, o que significa que a entidade possui alto grau de capacidade de liquidez”, enfatiza.

Equipe

Além de todos esses indicadores, é importante destacar que atualmente a entidade trabalha com equipes divididas em Apoio (69 pessoas); Área Técnica (187); Administrativo (97), e Médicos do Corpo Clínico (53), divididos em 17 especialidades. “Para compreender a importância da Santa Casa, basta imaginar o caos que seria com ela fechada, mesmo que seja por apenas meio período”, completa Cláudia.