Setembro traz lançamentos de peso para Nintendo Switch

Se você tem um Nintendo Switch e está querendo economizar dinheiro: fuja. Ou melhor, é bom ficar de olho no que realmente está com vontade de jogar. Isso porque o console recebe uma série de versões remasterizadas, ports de games clássicos e exclusivos de franquias famosas no mês de setembro. Confira algumas das novidades:

Final Fantasy VIII Remastered (3 de setembro)
Uma das entradas mais elogiadas da série principal de RPG da Square Enix chega ao Switch já na primeira semana de setembro. Se você já jogou o game e quer rememorar os momentos mágicos da história de Squall Leonhart, a indicação é que você segure o ímpeto e espere a versão remasterizada receber os previsíveis descontos.

Spyro Reignited Trilogy (3 de setembro)
Também na primeira semana de setembro chega outro remaster de um clássico dos tempos do PlayStation. A trilogia Spyro remasterizada já tinha sido lançada para outros consoles no ano passado, mas agora chega ao Switch também. Os games colocam os jogadores de volta na pele do simpático dragãozinho que precisa salvar seu reino.
Para quem é um fã da série ou sente falta de aventuras desse tipo no Switch, vale a pena considerar a compra. Se você não se enquadra nessa situação, também vale a pena esperar.


Daemon X Machina (13 de setembro)
O primeiro lançamento inédito e exclusivo de setembro é “Daemon X Machina”, game de ação desenvolvido pela Marvelous Entertainment para o Nintendo Switch. O jogo tem uma temática futurista na qual o personagem principal é um piloto mercenário lutando contra uma inteligência artificial corrompida.
O título promete missões cheias de ação, batalhas entre robôs gigantes (também chamados de mecha), trilha sonora eletrizante e um visual ao melhor estilo anime. Para os fãs desses elementos, é um prato cheio.

The Legend of Zelda: Link’s Awakening (20 de setembro)
Provavelmente, uma compra garantida para os seguidores da Nintendo, “Link’s Awakening” é o remake de um dos jogos clássicos da franquia, ainda na época do Game Boy. Além do visual todo repaginado, o game traz uma oportunidade para que os fãs mais jovens da série tenham contato com sua história.
A edição de 2019 também oferece um modo para que os jogadores criem suas próprias dungeons, ao melhor estilo “Super Mario Maker 2”. É difícil não imaginar que esse seja o lançamento mais bem-sucedido do Switch em setembro.

Ni No Kuni: Wrath of the White Witch (20 de setembro)
Um dos melhores RPGs de sua geração, “Ni No Kuni” conta a história do menino Oliver que parte para um mundo paralelo para resgatar sua mãe. O que torna o game da Level 5 uma verdadeira pérola, no entanto, são as animações e a participação do lendário Studio Ghibli em seu desenvolvimento.
Pesa contra o fato de que o game sai no mesmo dia de Zelda, além de contar com uma versão remasterizada (e provavelmente, mais barata) para PlayStation 4 e PC. Ao contrário das outras, a versão disponível no console da Nintendo é um port.

Contra Rogue Corps (24 de setembro)
A volta da franquia tradicional da Konami está marcada para o fim do mês e promete um run-and-gun tão desafiador e violento quanto suas versões clássicas. Com uma experiência baseada em alta dificuldade e partidas que podem ser compartilhadas com seus amigos ou apreciadas em single player, “Contra Rogue Corps” deve ganhar a atenção pela nostalgia. Resta saber se a experiência vai valer a pena da mesma forma que os seus antecessores.

Dragon Quest XI S: Echoes of an Elusive Age – Definitive Edition
(27 de setembro)

Talvez o lançamento mais aguardado do mês, a versão definitiva de Dragon Quest XI para o console híbrido da Nintendo vem surpreendendo jogadores pela qualidade da adaptação do título.
Além de gráficos que não fazem feio no Switch, o game está recheado de conteúdo e tem, pela primeira vez, sua trilha sonora toda orquestrada. Quem gosta do gênero RPG deve certamente considerar essa compra com bastante carinho. Contando com o design de personagens de Akira Toriyama – autor de “Dragon Ball” – e uma história cheia de aventura e emoção, não tem como ignorar a versão definitiva de Dragon Quest XI.