Vídeo: Empresário destaca necessidade de criação de Distrito Industrial

Para Edelberto Diniz Costa, passo seria fundamental para o desenvolvimento de Ituverava

O entrevistado dessa semana no especial sobre o futuro de Ituverava é o empresário Edelberto Diniz Costa, proprietário da Casa Costa e presidente do Sincovami (Sindicato do Comércio Varejista do Munícipio de Ituverava). Ao longo da entrevista, ele falou sobre a importância de um distrito industrial para Ituverava e apresentou ideias para atrair novos investidores para a cidade. Confira:

Apresentação
“Sou Edelberto Diniz Costa, proprietário da Casa Costa em Ituverava, empresa que existe há 44 anos, tendo sido fundada em junho de 1975. Até hoje temos uma clientela muito fidelizada e confiante em nosso trabalho, e agradecemos Ituverava por isso.
Nasci em Ituverava, porque a Santa Casa de São Joaquim da Barra não estava preparada para realizar a cesariana. No entanto, sou registrado em São Joaquim da Barra, mas o sangue que corre pelas minhas veias é de ituveravense.
Sou casado com Maria Aparecida da Silva Costa, que trabalha com música em São Joaquim da Barra, no Centro Cultural, que ela é uma das coordenadoras e de uma Orquestra Acadêmica, com crianças e adolescentes de 6 a 17 anos.
Tenho duas filhas, Mayra Maria Silva Costa, que é advogada, e Laila Maria Silva Costa, que é administradora e trabalha na Usina Alta Mogiana.
Sãos meus pais, Perceu de Souza Costa e Gercina Machado Diniz Costa, ambos já falecidos, que começaram toda essa trajetória, pois a Casa Costa nasceu em São Joaquim da Barra, em 1965, através do trabalho deles. Hoje também estamos em Ituverava e é aqui que quero permanecer todo o tempo que Deus permitir”.

Sincovami e ACII
“Hoje estou como presidente do Sincovami (Sindicato do Comércio Varejista do Munícipio de Ituverava), entidade que era uma antiga reivindicação nossa. Ficamos de 2002 até 2013 brigando na justiça para mudar a base de Ribeirão Preto, até que conseguimos a nossa base de Ituverava. Temos atuado para melhorar a área trabalhista em Ituverava e temos tido bons resultados. Também fui presidente da Associação Comercial e Industrial de Ituverava (ACII) durante dois mandatos. Nesse período, fizemos algumas campanhas e distribuímos carros e outros prêmios de grande valor.
Estamos na expectativa de uma melhora na economia do país para que possamos caminhar mais tranquilos novamente. E quando há melhora ou piora na economia, o comércio é o primeiro a sentir. Esperamos que até o final do ano a economia reaja, e que isso traga um impacto bastante positivo para o comércio de Ituverava”.

Reforma da Previdência
“A Reforma Previdenciária, em minha opinião, é necessária porque, além da longevidade, nós estamos com um processo muito grande de desemprego, o que desfalca o caixa da previdência, pois o desempregado não recolhe nada para a previdência, o que faz com que seja necessário um número muito alto de contribuintes para manter aqueles que já estão aposentados. Hoje, na maneira que está, existe a necessidade urgente da reforma previdenciária para manter o equilíbrio da contas do governo.
Olhando para o passado, vemos pessoas que se aposentaram aos 40 ou 45 anos e vivem até os 80, então realmente é necessária uma mudança para equilibrar esse tempo de contribuição”.

Reforma Tributária
“A Reforma Tributária é ainda mais importante que a previdenciária, pois é ela que vai fazer com que o país cresça mais rápido. É muito difícil viver em um país com mais de 60 tipos de tributos e impostos, em que empresas são obrigadas a fazer mais de 100 tipos pagamento de um tributo. Isso precisa acabar e temos que fazer uma unificação para poder dar condições de trabalho para realmente funcionar e fazer com que o emprego aumente. Acredito que a reforma tributária vai tirar um pouco dessa burocracia tão desnecessária”.

Visão sobre Ituverava
“Logo que nós viemos para Ituverava, com a abertura da loja, eu tinha 17 anos. A cidade era uma das melhores da região, tanto que foi o motivo que nos trouxe, pois era um município com comércio forte e ativo. Mas com o tempo, Ituverava vem perdendo essa força para a região. Não sei ao certo os motivos, mas observo que o comércio local não é tão prestigiado quanto deveria, o que é ruim para a cidade, pois quando você investe no comércio local, esse dinheiro gira dentro do próprio município e mais empregos são gerados.
Espero que essa realidade possa mudar e que apareçam muitos projetos para recuperar o tempo perdido e fazer com que Ituverava volte a ser uma das cidades mais importantes da região”.

Pedágio
“Um outro problema sério que nós temos em Ituverava é essa divisão no meio da Anhanguera com a cidade de Guará, devido ao pedágio, inclusive o mais caro da Rodovia Anhanguera. Isso dificulta porque as pessoas de Guará e outras cidades acabam preferindo fazer suas compras em comércios de outros locais. Claro que existe a estrada vicinal que liga Ituverava e Guará, mas ela tem curvas perigosas e já provocou muitas mortes, então os motoristas não se arriscam a vir para Ituverava por esse trajeto.
Isso atrapalha muito Ituverava, mas não quer dizer que sou contra a privatização das estradas. O que deveria ocorrer é cobrar um valor muito mais barato, pois o preço do km rodado entre Ituverava e Guará é absurdo e um dos mais caros do país. O percurso é de 11 km e o preço é de R$ 11,90, ou seja, é mais de R$ 1 por km, o que é quase o preço de um táxi.
Precisamos formar uma força na cidade e entrar em contato com o Governo do Estado de São Paulo, para mostrar essa brutal realidade, e trabalharmos para fazer uma mudança”.

Distrito Industrial
“Outro problema muito sério em Ituverava é que não temos um Distrito Industrial. Com isso, estamos perdendo algumas empresas para Guará, São Joaquim da Barra e Igarapava, já que não temos local apropriado para receber essas empresas.
A Prefeitura informou que está elaborando um projeto para melhorar a questão. Temos muito a fazer para ter um Distrito Industrial decente, com condições de trazer indústrias de peso para a cidade, proporcionando desenvolvimento, empregos e receita para a Prefeitura.
Ituverava precisa atrair investimentos e não continuar sendo uma cidade dormitório. Precisamos ser uma cidade que cresça, e o Distrito Industrial é o caminho para isso, pois será de uma importância fundamental, até mesmo para que a renda da cidade aumente e que a economia gire melhor no município”.

Educação e Saúde
“Ituverava tem o privilégio muito grande de ter a Fundação Educacional de Ituverava, que oferece diversos cursos de Ensino Superior bem colocados no ranking das melhores universidades e faculdades do país. Isso ajuda muito a cidade e atrai pessoas para morar aqui.
A área da Saúde também merece destaque, pois temos o AME, a Santa Casa e o Hospital e Maternidade de Ituverava – São Jorge. Com isso, a cidade é um verdadeiro polo regional de saúde, inclusive por oferecer serviços como a hemodiálise”.

Comércio e Indústria
“As áreas de Educação e Saúde estão indo muito bem em Ituverava. O que precisamos é melhorar as áreas de Comércio e Indústria para que assim a cidade possa crescer de forma uniforme e coesa”.

Comércio online
“Hoje, falando sobre os consumidores da Casa Costa, posso afirmar que são clientes fiéis, que valorizam o bom atendimento e o bom preço. Então o crescimento das vendas online não impactou a minha empresa, mas não sei por quanto tempo isso permanecerá, pois estamos em um momento em que tem ocorrido mudanças nas vendas online, como locais que são pontos de entregas de mercadorias espalhados pelas cidades para que as encomendas cheguem mais rápido.
Entretanto, é importante lembrar que na venda online sempre há o risco de a mercadoria apresentar defeitos, e sabemos que é um transtorno para enviar a mercadoria de volta para fazer a troca. Com isso, o barato muitas vezes sai caro.
Além disso, percebo que o brasileiro gosta de ver os objetos de perto e tocá-los antes de decidir comprá-los. Então a loja física ainda vale mais que a virtual”.

Investimentos
“Tivemos informações recentes de que Ituverava é uma cidade em que a população prefere aplicar o recurso que ela tem ao invés de investir na iniciativa privada. Essa mentalidade precisa ser mudada, porque ter dinheiro guardado é ótimo e necessário, mas as sobras deveriam ser investidas na cidade.
Por isso, conclamo os investidores da cidade para que contribuam com a iniciativa privada, para que possamos criar indústrias, comércio e prestadoras de serviço. Dessa forma, em um futuro bem próximo, teremos uma cidade modelo”.