“72 Horas Depois” apresenta trama original e muita ação

Disponível nas plataformas NOW, Looke, Vivo Play, Google Play, Microsoft, iTunes e Sky Play desde o dia 18 de março, o filme “72 Horas Depois”, primeiro longa do diretor e roteirista Brian Ulrich, apresenta uma trama bastante interessante e original, sobretudo para um filme de ação.

Na história, um policial interpretado por Robert Palmer Watkins (da série “The Walking Dead: Um Novo Universo”) se envolve na investigação de um sindicato do crime e é dopado em uma boate. Ele acorda 72 horas depois, sem se lembrar de nada dos últimos três dias e sem saber onde estão a sua esposa e seu parceiro.

A partir da metade, a narrativa fica ainda mais interessante ao trazer elementos que lembram os explorados em filmes como “Amnésia” (Christopher Nolan) e “Efeito Borboleta” (Eric Bress). O que acontece com o policial é que ele passa a viver esses três dias de forma reversa, ou seja, quando dá meia-noite, ele volta ao dia anterior ao invés de avançar para o amanhã.

O que parece confuso num primeiro momento, logo se torna compreensível: ele tem esse tempo extra para evitar um desfecho trágico, especialmente para sua esposa, com quem já estava vivendo uma relação conturbada por conta do trabalho como policial.

Apesar de ter erros de continuidade e algumas cenas apressadas, o filme é uma surpresa agradável por conseguir ser complexo e original em um gênero com pouco espaço para isso. Traz boas cenas de ação, reviravoltas interessantes e momentos em que nada é o que parece.

O principal ponto fraco são os flashbacks do início do relacionamento entre o policial e sua esposa, com cenas melosas e arrastadas, acompanhadas de uma trilha sonora instrumental quase insuportável. Mesmo assim, “72 Horas Depois” é uma boa indicação para quem busca um filme de ação que consegue fugir de clichês (mesmo que não de todos).

Bruno Inácio assistiu “72 Horas Depois” antes de o filme ser lançado no Brasil, a convite da A2 Filmes

Bruno da Silva Inácio é jornalista, mestre em Comunicação e pós-graduado em Literatura Contemporânea, Política e Sociedade e Cultura e Literatura. Atualmente cursa quatro especializações (Cinema, Teoria Psicanalítica, Antropologia e Gestão da Comunicação) e reside em Uberlândia, onde trabalha como assessor de imprensa da Prefeitura.
É autor dos livros “Gula, Ira e Todo o Resto” e “Devaneios e alucinações”, participante de outras quinze obras literárias e colaborador da Tribuna de Ituverava e dos sites Obvious, Provocações Filosóficas e Tenho Mais Discos que Amigos. Também manteve, entre 2015 e 2019, a página “O mundo na minha xícara de café”, que chegou a contar com 250 mil seguidores no Facebook.