Alta da cesta básica em Buenos Aires supera inflação da Argentina

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e o presidente da Argentina, Alberto Fernández, durante um evento no Parque Néstor Kirchner, em Buenos Aires – 11/11/2021 | Foto: Reprodução/Twitter

Em abril deste ano, o valor da cesta básica alimentar subiu exatos 59,4% na Grande Buenos Aires, na comparação com o mesmo mês no ano passado. Trata-se de uma alta superior à inflação geral acumulada em 12 meses na Argentina, de 58% no mês passado, o maior avanço interanual desde janeiro de 1992.

O valor da cesta básica total na Grande Buenos Aires, que considera também preços de bens e serviços não relacionados à alimentação, como vestuário, transporte, educação e saúde, subiu quase 52% em um ano. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística e Censos, equivalente ao IBGE brasileiro.

Inflação na Argentina em 2022 deve ultrapassar 65%

A inflação na Argentina deve fechar em mais de 65% neste ano, informou relatório do Banco Central do país. Divulgado no fim do mês passado, o documento mostrou que a inflação em abril fechou em pouco mais de 5,5%.

Caso as projeções da autoridade monetária se confirmem, serão 15 pontos acima dos registrados em 2021 — a maior variação anual desde 1991. Além disso, a inflação virá acima dos 55% esperados pelo Banco Central em janeiro.

Na América do Sul, a Argentina só perde para a Venezuela no ranking regional de inflação, de acordo com levantamentos do Fundo Monetário Internacional e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. Não há perspectiva de mudança no curto prazo.

Fonte:revistaoeste.com