App criado por aluno da USP faz correções automáticas de redações

Um aplicativo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, faz a correção automática de redações.
A ferramenta gratuita, que possibilita identificar erros gramaticais, de pontuação, de digitação e de concordância, pode ajudar a aprimorar as habilidades dos estudantes que prestam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros vestibulares.
O aplicativo disponível para smartphones com sistema Android foi desenvolvido pelos pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) e do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC).
Para criar o aplicativo, que recebeu o nome de Corretor Inteligente de Redações Automático (CIRA), o estudante Gabriel Nogueira, que cursa Bacharelado em Ciências de Computação no ICMC, empregou técnicas da área de inteligência artificial.
“A ferramenta foi criada a partir de uma base de 100 mil redações da empresa Letrus, que foram corrigidas e pontuadas por professores seguindo os moldes da avaliação do Enem”, diz o estudante.
“A partir dos critérios utilizados por esses professores, o sistema inteligente aprendeu quais aspectos precisam ser levados em conta em uma correção e como estabelecer uma nota”, explica.

Como funciona
Para ter sua redação corrigida, basta fazer o download do aplicativo ou acessar o site do CIRA. Depois, é só o usuário digitalizar a redação e submetê-la à ferramenta.
O sistema apresenta ao usuário uma tela de resultados, em que constam a nota atribuída à redação e estatísticas sobre o texto (número de palavras, por exemplo).
Caso erros sejam encontrados, eles são marcados em vermelho. Ao clicar em cima deles, abre-se uma janela contendo informações sobre o erro e sugestões de correção.

Projeto de Iniciação Científica
O CIRA é resultado de um projeto de iniciação científica em que Nogueira é orientado pelo professor Osvaldo Novais de Oliveira Jr., do IFSC, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).
O projeto de Gabriel é um dos frutos das pesquisas realizadas pelo Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional (NILC), um grupo multidisciplinar de pesquisa, sediado no ICMC. Criado em 1993, o Núcleo conta hoje com pesquisadores de várias instituições, como USP, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal de São Carlos e Universidade Estadual de Maringá.
A ideia de desenvolver um sistema com correção automática de redações é relativamente antiga no NILC, pois em 2007 foi publicado um artigo de pesquisadores do IFSC e do ICMC prevendo que métricas estatísticas de textos poderiam ser correlacionadas com a qualidade.

Sistema

O sistema começou a se tornar realidade em 2019, com um projeto patrocinado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da USP em um programa sobre sistemas inteligentes. Uma equipe foi formada com professores dos dois institutos, além de bolsistas do ICMC, incluindo Gabriel Nogueira.