Belas Artes à La Carte e Oldflix: duas plataformas para quem gosta de cinema cult

Apesar de apresentarem catálogos extensos, serviços de streaming como a Netflix e a Amazon Prime nem sempre trazem muitas opções para quem busca ter contato com grandes clássicos do cinema mundial, passando por movimentos como o expressionismo alemão ou a nouvelle vague francesa.
Pensando em atingir esse público, algumas plataformas já têm incluído filmes cult em seu catálogo, como é o caso do Telecine, que reúne diversos filmes do célebre cineasta Jean-Luc Godard.
Há ainda as plataformas especializadas em filmes cult, como a Belas Artes à La Carte e a Oldflix, que têm preços acessíveis e fogem do cinema blockbuster de Hollywood.
A Oldflix custa R$ 12,90 por mês e pode ser acessada em PC (Windows, Linux, MacOS), Smartphone, Tablet, Xbox ONE, Playstation 4, Android TV, Fire TV, Fire TV Stick e Chromecast em até quatro dispositivos ao mesmo tempo.

Obras de arte
O catálogo inclui, entre outras verdadeiras obras de arte, o clássico do neorrealismo italiano “Ladrões de Bicicletas” (Vittorio De Sica), o sensível “A Doce Vida” (Federico Fellini), dois filmes do revolucionário cineasta Luis Buñuel (“A Bela da Tarde” e “Ensayo de un Crimen”) e “Disque M para Matar”, um dos mais importantes filmes de Alfred Hitchcock.
Ainda estão no catálogo filmes como “A Primeira Noite de um Homem”, “Cinema Paradiso”, “Hiroshima Mon Amour”, “Intriga Internacional”, “Como Roubar um Milhão de Dólares”, “Bonequinha de Luxo” e a série de Ingmar Bergman, “Cenas de um Casamento”.
Já o Belas Artes à La Carte apresenta uma diversidade ainda maior, reunindo filmes de países como França, Itália, Japão, Alemanha, Espanha, Brasil, Nova Zelândia, Rússia, entre muitos outros. O serviço custa R$ 9,90 por mês e pode ser acessado em PC, Smartphone, Smart TVs, AppleTV e Chromecast, em até dois dispositivos ao mesmo tempo.

Clássico alemão
O catálogo inclui filmes como o clássico alemão “Metrópolis” (Fritz Lang), o indispensável “Rocco e Seus Irmãos” (Luchino Visconti), o divertido “Uma Mulher é uma Mulher” (Jean-Luc Godard) e o inovador “O Espelho” (Andrei Tarkovski).
Também estão disponíveis clássicos como “Solaris”, “A Morte de um Burocrata”, “A Aventura” e “O Cortiço”.

Bruno da Silva Inácio cursa mestrado na Universidade Federal de Uberlândia, é especialista em Gestão Cultural, Literatura Contemporânea e em Cultura e Literatura.
Ele Cursa pós-graduação em Filosofia e Direitos Humanos e em Política e Sociedade. É autor dos livros “Gula, Ira e Todo o Resto”, “Coincidências Arquitetadas” e “Devaneios e alucinações”, além de ter participado de diversas obras impressas e digitais.
É colaborador dos sites Obvious e Superela e responsável pela página “O mundo na minha xícara de café”.