Belas Artes apresenta mostra on-line do cinema paraibano

A pouco mais de cem quilômetros do Recife, um dos mais incensados e premiados polos cinematográficos do Brasil, está um centro de produções fértil de filmes —mas ainda pouco conhecido do grande público, sobretudo em praças que apresentam as maiores bilheterias do país, como São Paulo.
Até a próxima quarta-feira, 18 de agosto, a plataforma de streaming Belas Artes à la Carte, criada pelo cinema de rua paulistano, apresenta “O Novíssimo Cinema da Paraíba”. Na programação, há sete longas-metragens e 17 curtas, além de conversas sobre o mercado cinematográfico do estado nordestino.
A mostra, resultado de uma parceria entre a Funjope, que é a Fundação Cultural de João Pessoa, e o Petra Belas Artes, surgiu da dificuldade de filmes paraibanos serem exibidos em escala nacional.
“Mais de 80% do cinema brasileiro fica relegado a festivais ou a microestreias em salas sem muita visibilidade. O cinema paraibano está dentro desse universo que dificilmente chega ao público”, diz André Sturm, dono do Belas Artes.

Destaque
Um dos destaques da mostra é o longa “A República da Selva”, de Manoel Fernandes Neto. O filme acompanha uma república de estudantes na cidade de Cabedelo, no litoral norte da Paraíba, durante o impeachment de Dilma Rousseff e o início do governo Temer.
Inicialmente, o cineasta havia pensado em fazer um documentário —gênero que ele visitou em produções como “Alquimistas de Camalaú” e “Sofá”. Mas, durante a produção, Fernandes preferiu desenvolver um longa que transita entre a ficção e o documentário.
Segundo Paulo Roberto, gerente da divisão de audiovisual da Funjope e curador da mostra, a diversidade de temas e gêneros é uma marca do cinema paraibano. “O apanhado é para mostrar as várias Paraíbas que existem no estado”, afirma. Veja, abaixo, cinco destaques que fazem parte da programação.

A República da Selva
Entre o impeachment de Dilma Rousseff e o início do governo Temer, o filme acompanha as frustrações políticas de uma república de estudantes do litoral da Paraíba. Guiados por uma estudante indígena tabajara, os jovens adentram a selva que circunda a república para realizar antigos rituais que trazem à tona descobertas e mistérios envolvendo os estudantes.
Brasil, 2018. Direção: Manoel Fernandes Neto. Com: Thaíse Cabral, Taíza Nunes, Noé Pires. 16 anos

Ambiente Familiar
Inicialmente planejada para ser uma simples divisão das despesas da casa, a relação entre três jovens amigos acaba se tornando uma nova forma de vivenciar a afetividade familiar.
Brasil, 2018. Direção: Torquato Joel. Elenco: Alex Oliveira, Fagner Costa e Diógenes Duque. Livre

Rebento
O filme exibe a história de Mulher, que, ao cometer um crime, abandona a família para viver um destino desconhecido. Durante um dia, ela passa por diferentes situações e encontros que marcarão a sua vida e contestarão aquilo em que até então ela acreditava.
Brasil, 2018. Direção: André Morais. Com: Ingrid Trigueiro, Zezita Matos, Fernando Teixeira. 12 anos

Faixa de Gaza
Mago é o chefe de uma gangue de jovens que aliciam e cometem crimes em um contexto de guerra de facções. No meio da violência, o filme acompanha Nazaré e Naldin que se veem no meio do extremo conflito.
Brasil, 2019. Direção: Lúcio César Fernandes. Com: Marcélia Cartaxo, Paulo Philippe, Marcelo de Souza. 16 anos

Deus Não Acredita em Máquinas – DNA-M
Em um 2042 distópico e pós-apocalíptico, um casal passa por um sequestro mal-sucedido que resulta em um grande dilema existencial da civilização em que vivem.
Brasil, 2018. Direção: Ely Marques. Com: Gladson Júnior, Laís Lacerda, Tavinho Teixeira. 12 anos