Começo de 2021 tem quase metade das chuvas do ano passado e cria alerta para falta de água

Historicamente, de janeiro a abril, Franca tem seu período mais chuvoso. Mas, diferente de outros anos, 2021 não conseguiu manter a média. Por isso, os mananciais que abastecem a cidade registraram o menor índice de vazão dos últimos 20 anos

Com o período de fortes chuvas já chegando ao fim em Franca, esperava-se que, nestes primeiros meses, a cidade tivesse uma série de dias chuvosos. Isso não aconteceu. De janeiro até abril deste ano, Franca teve um acúmulo de 487 milímetros de chuva, de acordo com dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Esses números são baixos, se comparados a anos anteriores e, por isso, os mananciais que abastecem a cidade registraram o menor índice de vazão dos últimos 20 anos, de acordo com a Sabesp. Os números do mesmo período de 2020, por exemplo, marcam 878,8mm. Esse acumulado representa  quase o dobro do registrado em 2021. Até mesmo 2019, que começou meio lento nas chuvas, teve um índice bem maior que o ano atual. De janeiro a abril do ano retrasado, foram registrados 734,6mm.  Esses baixos registros pluviométricos, mesmo no período de chuva, farão com que, durante o ano, os francanos tenham que economizar água, para que não tenham problemas. Ainda mais que, nos próximos meses, a previsão é que Franca tenha seu período de estiagem.  “Atualmente, a vazão dos mananciais é suficiente para atender a demanda de Franca, porém com a aproximação do período de estiagem a Sabesp orienta a população a usar água com consciência, evitando desperdícios”, diz a empresa por meio de nota. Para que a cidade não apresente falta de água ao longo do ano, a Sabesp afirma que existem duas captações emergenciais que devem ser implementadas, com capacidade de 100 litros por segundo. Além disso, um novo sistema, o Sapucaí-Mirim, deve ficar pronto no final de 2022, aumentando a captação e abastecimento de água em Franca. “A entrega do novo sistema vai permitir dobrar a capacidade de produção de água do município”.

Fonte: gcn.net.br