Como economizar na compra de material escolar

Variação no valor de itens foi constatado em levantamento feito pela Tribuna de Ituverava

Para economizar nas compras de material escolar é importante pesquisar os preços e não deixar para a última hora

Todo começo de ano vem repleto de contas extras como IPTU e IPVA, que causam aperto no orçamento das famílias. Se não bastassem os tradicionais impostos, os pais têm uma preocupação a mais: a compra do material escolar.
E para não dar início ao ano de 2018 endividado, a principal dica é pesquisar bastante os preços e não deixar a compra para a última hora. Isso porque, quem compra antecipadamente pode garantir descontos e melhores formas de pagamento.
Por isso, organizar a compra do material escolar ajuda a reduzir as despesas. A sugestão de pesquisar preços é sempre atual. O consumidor deve fazer uma lista do que precisa comprar para não se render a impulsos consumistas. Também é recomendável juntar todo o material escolar do ano anterior e ver a possibilidade de reutilizá-lo.
É imprescindível fazer pesquisa e cotação em diversos estabelecimentos, já que há grandes diferenças de preços. Em 2017, pesquisa do Procon-SP apontou até 600% em um mesmo produto.

Ituverava
No município, levantamento feito pela Tribuna de Ituverava em três livrarias aponta que existe uma variação de preços bem significativa. Foram levantados os valores de sete itens (caixa de lápis de cor com 24 unidades, lápis 2B, borracha, apontador, cola, lapiseira e caderno), todos da mesma marca e modelo.
Em uma livraria, todos os itens custam R$ 53,40; em outra R$ 54,80 e em outra R$ 63,80. A maior diferença foi na caixa de lápis de cor. Em uma das livrarias custa R$ 34,90, em outra custa R$ 41,90, o que dá uma diferença de R$ 7, ou seja, 20%.
Proporcionalmente, o item com maior variação é a cola. Em uma livraria, o valor é de R$ 1, enquanto em outra chega a R$ 3, o que representa uma variação de 200%.

7 dicas de ouro para  economizar na compra 

1- Reutilize – Antes de ir à papelaria, verifique os itens que foram usados no ano passado. Os que estiverem em bom estado podem ser reutilizados. Tesoura, dicionário e estojo, por exemplo, normalmente duram mais do que outros materiais.
2. Bazar – Planejar um bazar de trocas de artigos escolares em bom estado entre vizinhos ou amigos, por exemplo, também é uma alternativa para gastar menos.
3. Pesquise – Compare estabelecimentos e marcas e fique atento, principalmente, aos preços dos livros didáticos, que costumam ser bem caros em relação aos outros componentes da lista. Pode valer a pena comprá-los diretamente da editora.
4. Sebos – Outra opção para a compra de livros é através da internet, ou então, pesquisar em sebos. Costuma ser bem mais barato.
5. Grupos – Para reduzir um pouco mais os gastos, a dica é reunir um grupo de pais para ir às compras, pois no atacado é sempre mais barato.
6. Personagens – Evite artigos sofisticados, com características de brinquedo, ou com personagens infantis licenciados. Além de eles poderem distrair a atenção da criança na aula, são mais caros que os convencionais.
7. Crianças – Na hora da compra, não leve as crianças consigo. A chance de gastar mais com elas presentes na escolha dos produtos é maior.