Conheça os principais benefícios de cortar o açúcar da sua dieta

Lexa usou o Instagram para contar que mudou a alimentação e decidiu cortar o açúcar da dieta. Em uma das imagens, ela aparece sorrindo e escreveu: “5 dias sem açúcar”. Recentemente, a cantora afirmou que engordou 10 quilos durante a pandemia e que não estava praticando atividade física com frequência.
Em outra imagem, ela mostrou alface, legumes e frutas, e contou que a cozinha costuma deixar tudo pronto para ela e o marido, o MC Guimê.
Quando falamos em ficar sem consumir açúcar, geralmente nos referimos ao açúcar adicionado em doces e alimentos processados, como bolos e pães, além dos doces. Isso inclui por exemplo, o açúcar refinado, demerara e mascavo, além dos xaropes de frutose e glicose.
Mas não há problema em consumir os açúcares presentes nos alimentos in natura, como a frutose (que está nas frutas) e a lactose (do leite e derivados), bem como os carboidratos complexos — presentes em alimentos integrais (como pães e massas) e também nos alimentos ricos em amido (como batata-doce e mandioca).

Consenso
Isso porque, atualmente, é consenso entre grande parte dos especialistas que as dietas —feitas por pessoas sem qualquer problema de saúde que exija uma alimentação específica —sejam menos restritivas e mais equilibradas —ou seja, que contemplem todos os grupos alimentares para que, uma vez alcançada a perda de peso desejada, ela seja mantida de forma sustentável pelo resto da vida.
Não é só Lexa que decidiu cortar o açúcar em nome de uma alimentação mais saudável. Paola Machado, colunista do site VivaBem e mestre em ciências da saúde com foco em fisiologia do exercício e imunologia, também decidiu há anos evitar o alimento e até escreveu um texto explicando os motivos que a levaram a tomar essa decisão. A especialista também listou 10 benefícios em diminuir o açúcar:

Benefícios ao coração
Reduzir a ingestão de açúcares pode ajudar a baixar a pressão alta, reduzir o colesterol LDL (“ruim”) e elevar o colesterol HDL (“bom”), o que ajuda a reduzir o risco de ataques cardíacos e derrames. Um estudo de 2014 descobriu que aqueles que consumiam 17% a 21% de suas calorias de açúcar adicionado tinham um risco 38% maior de morte por doença cardíaca em comparação com aqueles que consumiam 8% de suas calorias do doce.

Pode reduzir o risco de diabetes tipo 2
Embora o açúcar não cause, necessariamente, diabetes, pesquisas sugerem que o excesso dele, particularmente de bebidas açucaradas, aumenta significativamente o risco de diabetes tipo 2.

Pode reduzir o risco de câncer
Não está descrito na literatura que o consumo de açúcar faz a célula cancerígena se proliferar, porém pesquisas mostram que reduzir ou mesmo cortar o doce da sua alimentação pode ajudar a reduzir o risco de câncer colorretal e câncer de próstata.

Pode manter seu sistema imunológico forte
Pesquisas sugerem que pode haver uma correlação entre açúcar e nossa contagem de glóbulos brancos. Um estudo descobriu que comer apenas 100 gramas de açúcar reduziu a capacidade de nossas células brancas do sangue de matar as bactérias em até 50%.

Pode melhorar a saúde mental
A sobremesa pode parecer um estímulo rápido, mas pesquisas sugerem que o excesso de açúcar de doces e bebidas aumenta o risco de transtornos mentais e depressão.

Pode prevenir o envelhecimento precoce
O açúcar danifica o colágeno e a elastina na pele, que são essenciais para a prevenção de rugas e linhas finas. Parece também desencadear uma resposta inflamatória que causa acne e psoríase em alguns indivíduos.
Pode melhorar a função cognitiva
Pesquisas sugerem que uma dieta rica em açúcar pode ter um papel em danificar as áreas específicas do cérebro envolvidas na formação da memória por meio da inflamação, aumentando o risco de demência, Alzheimer e outras doenças neurológicas.