Em ação na justiça, promotores pedem mais leitos de UTI de Covid em Franca e região

O número de UTIs é insuficiente para o atendimento da população de Franca e cidades da região

Nove promotores de Justiça de Franca entraram na Justiça contra o governo do estado.

Em ação ajuizada na quinta-feira (13/5), eles pedem a concessão de liminar para que o Estado de São Paulo disponibilize, em cinco dias, leitos de UTI para atendimento a pacientes com covid-19 na região de Franca.

É que tem gente morrendo na fila de espera por um leito de UTI e o próprio prefeito Alexandre Ferreira fez um alerta que a situação é de colapso público.

Segundo a petição inicial, que requer também o fornecimento de transporte às pessoas encaminhadas para internação, o número de vagas precisa ser suficiente para fazer frente à crescente demanda.

Os promotores querem que o Estado de São Paulo apresente um “plano de fiscalização dos leitos clínicos e de UTI covid-19 que sejam objeto de convênio com o Estado.

Nesse plano, o Ministério Público quer informações sobre o gestor, no âmbito do Departamento Regional de Saúde, atuante na área técnica de planejamento e assistência e administrativa responsável pela sua realização, bem como eventual cronograma de fiscalização in loco”.

A ação foi proposta após recomendação feita pelos mesmos membros do MPSP não ter sido acatada.

Assinam a ação os promotores de Justiça Christiano Corrales de Andrade, Túlio Vinícius Rosa, Ilo, Wilson Gonçalves Junior, André Donizeti Zanutim, Filipe Teixeira Antunes, Rosana Márcia Queiroz Piola, Daniel Fonseca do Nascimento, Fernando Pinho Chiozotto e Gustavo Ferronato.

Fonte: jornaldafranca.com.br