Excesso de peso atinge 30% dos jovens da América Latina

Em novo comunicado, a Unicef revela que durante a pandemia de Covid-19, houve piora na alimentação dos jovens na América Latina e no Caribe. Atualmente, segundo o órgão da ONU, estima-se que na região, ao menos três em cada 10 crianças e jovens de 5 a 19 anos tenha excesso de peso.
Segundo a agência Unicef, a obesidade infantil é causada pela falta de atividade física e pelo consumo de alimentos ultraprocessados e bebidas cheias de açúcar, que são de fácil acesso, baixo custo e bastante divulgados na mídia de massa.

Alerta
O órgão alerta ainda que durante a pandemia o problema se intensificou com o acesso limitado a alimentos saudáveis e menor poder de compra.
“Durante um ano e meio de pandemia, foi muito mais difícil para as famílias manter uma alimentação saudável. As mães e os pais perderam renda e os preços dos alimentos aumentaram”, afirma Jean Gough, diretor da Unicef para América Latina e Caribe.
Além disso, com o lockdown e a interrupção das aulas presenciais, muitas crianças deixaram de receber merenda escolar e as opções de alimentação e de espaços para atividades físicas se tornaram limitados.

Prevenção
“Antes da Covid-19, prevenir a obesidade era essencial e agora é mais urgente do que nunca”, completa Gough.
A Unicef pede que os países da região, o que inclui o Brasil, fortaleçam e implementem leis e marcos regulatórios para garantir a qualidade dos alimentos nas residências e nas escolas.