Fundo eleitoral bancaria sozinho toda a vacinação contra covid-19 no Brasil

O montante também seria capaz de comprar cerca de 3 milhões de cilindros de oxigênio

Na semana passada, o Congresso aprovou a destinação de R$ 5,7 bilhões para o Fundo Eleitoral. Caso essa mesma quantia fosse destinada ao combate da pandemia, o governo federal conseguiria comprar doses suficientes para vacinar toda a população elegível (158 milhões de pessoas) e ainda sobraria dinheiro para custear quase 200 mil diárias de UTI.

Por cerca de R$ 16 a dose, a Fundação Oswaldo Cruz fornece os imunizantes contra a doença desenvolvidos em parceria com a AstraZeneca/Oxford. O custo para duas aplicações em cada brasileiro com mais de 18 anos (idade mínima para receber a vacina) seria de cerca de R$ 5 bilhões — e ainda restariam R$ 644 milhões, “troco” que permitiria contratar 214 mil diárias nos leitos de internação de alta complexidade. Os R$ 5,7 bilhões aprovados para o “Fundão” também comprariam aproximadamente 3 milhões de cilindros de 50 litros de oxigênio.

Fundão Eleitoral

Além de estarmos vivendo uma crise sanitária, a bolada aprovada pelos parlamentares para custear campanhas eleitorais é mais que os R$ 2 bilhões do ano passado e mais que o triplo das eleições de 2018. A distribuição de dinheiro pode contemplar 34 partidos de forma desigual. As sete legendas do topo da lista — PT, PSL, MDB, PP, PSD, PSDB e DEM — receberiam cerca de R$ 3 bilhões, valor equivalente a 150 milhões de testes rápidos ou 3 bilhões de máscaras cirúrgicas.

O envio do dinheiro do pagador de impostos para as campanhas eleitorais em 2022 ainda precisa ser aprovado pelo presidente Jair Bolsonaro. O chefe do Executivo, no entanto, já anunciou que vai vetar “a cifra enorme”.

Fonte: revistaoeste.com