GP da Emília Romagna de F1: veja datas, horários e tudo sobre a corrida de Imola

Na mesma pista em que a Mercedes se tornou heptacampeã da Fórmula 1 em novembro do ano passado, desta vez é a Red Bull quem chega como favorita.
O time de Max Verstappen e Sérgio Perez não levou a primeira etapa, no Bahrein, graças a uma ótima atuação da rival e de Lewis Hamilton, mas tem motivos para acreditar que terá o conjunto mais forte em Imola para o GP da Emilia Romagna.
Ano passado, quando a Red Bull não era tão forte quanto a Mercedes, Max Verstappen se colocou entre os carros alemães na largada e deu trabalho durante a corrida. Lewis Hamilton largou em segundo, caiu para terceiro, mas conseguiu pular para a ponta mantendo um bom ritmo depois que seus rivais diretos trocaram de pneu e, quando fez seu pitstop, voltou na frente.

Pneu furado
Verstappen passou a pole position Valtteri Bottas e vinha diminuindo a diferença para Hamilton quando teve um pneu furado e abandonou a prova, abrindo espaço no pódio para Daniel Ricciardo.
Foi, inclusive, o segundo pódio seguido do australiano que, na Itália, não se esqueceu de seu tradicional shoey, e inclusive foi acompanhado por Hamilton na comemoração: os dois beberam o champanhe usando a sapatilha de Ricciardo como taça.
Neste ano, a Renault se tornou Alpine, e é uma das equipes que levará atualizações no carro para a prova italiana.

Características da pista de Imola

Por ser uma pista estreita e cercada por áreas de escape com brita, Imola testa a precisão dos pilotos e é bastante técnica. Por outro lado, a pouca largura faz com que a classificação seja importante, já que as ultrapassagens são difíceis. No entanto, a zona de DRS será aumentada em relação ao ano passado para tentar remediar isso.
Em termos de acerto do carro, não é das pistas mais fáceis, já o início da volta, da última curva até a chicane da Tamburello, é feito de pé embaixo, mas também há trechos mais travados. É uma pista bastante variada, com curvas travadas, de média e de alta velocidade. A curva mais veloz é a Piratella, tomada em sexta marcha, a 220 km/h.
O MGU-K, que recupera energia nas freadas, trabalha praticamente o tempo todo ao longo de uma volta em Imola, ou recuperando energia, ou alimentando a unidade de potência. A única pista em que seu trabalho é mais intenso é em Monza.

Como acompanhar o GP da Emília Romagna:

Sexta-feira, 16 de abril
Treino livre 1, das 6h às 7h: BandSports
Treino livre 2, das 9h30 às 10h30: BandSports
Sábado, 17 de abril
Treino livre 3, das 6h às 7h: BandSports
Classificação, das 9h às 10h: TV Bandeirantes (para algumas praças) e BandSports
Domingo, 18 de abril
Corrida, a partir das 10h: TV Bandeirantes e BandNewsFM

Raio-X do circuito de Imola
Distância: 4.909m
Número de voltas: 63
Recorde geral: 1min13s609 (Valtteri Bottas, Mercedes, 2020)
Recorde em corrida: 1min15s484 (Lewis Hamilton, Mercedes, 2020)
DRS – 1 zona
Detecção antes da curva 16 e ativação antes da curva 19
Pneus disponíveis: C2 (duros), C3 (médios) e C4 (macios)