Maio Amarelo alerta sobre as infrações de trânsito

Criada em 2014, campanha visa conscientizar a sociedade e reduzir o número de acidentes no trânsito

Neste ano, tema da campanha é “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”

O momento que o mundo atravessa, devido à pandemia da Covid-19, pede muito respeito e responsabilidade e, no trânsito, não é diferente. Parar na faixa de pedestre, usar a cadeirinha para as crianças e não dirigir usando o celular são alguns dos exemplos de como agir de forma respeitosa e responsável.
Essa é a mensagem da campanha Maio Amarelo 2021 que foi lançada oficialmente terça-feira, 27 de abril, na sede do Sistema CNT, em Brasília, com transmissão ao vivo pelo canal do SEST SENAT no YouTube.
O Observatório Nacional de Segurança Viária é o idealizador da campanha e, neste ano, a CNT e o SEST SENAT são os apoiadores centrais da ação, que tem como tema “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”.
A ação quer mostrar a importância da união de forças de toda a sociedade para a causa, afinal, enquanto apenas um pedestre, ciclista, motorista, passageiro ou motociclista estiver desrespeitando as regras, todos estarão em risco.
“Hoje foi só um start para a campanha do Maio Amarelo. A campanha deve se estender por todo o ano porque é fundamental reduzir os acidentes e o número de vítimas. A CNT, o SEST SENAT e o ITL estão engajados nessa meta de alertar a sociedade brasileira para a garantia de um trânsito mais seguro”, destaca o presidente do Sistema CNT, Vander Costa, durante o lançamento.

Cerimônia
A cerimônia contou com a presença, de maneira on-line e presencial, de representantes dos Poderes Executivo e Legislativo, de órgãos relacionados ao trânsito e de organizações da sociedade civil. “É uma oportunidade para a gente discutir e dividir a responsabilidade do governo, em todas as suas esferas, com o cidadão. Só assim – juntos – vamos conseguir cumprir as metas de segurança viária estabelecidas para a próxima década”, alerta Marcello da Costa, secretário Nacional de Transportes Terrestres que, na oportunidade, representou o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.
Apesar de registrar redução do número de mortes nos últimos anos, o trânsito brasileiro ainda mata milhares de pessoas. Em 2019, quando foi divulgado o último levantamento pelo Ministério da Saúde, foram mais de 31 mil vidas perdidas.

Atitude

“O trânsito tem números de pandemia. A diferença para o momento que estamos vivendo é que para a Covid-19 há uma vacina que está imunizando as pessoas. Mas para a doença do trânsito, infelizmente, a vacina está na atitude, na mudança do comportamento”, explica José Aurélio Ramalho, diretor presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária.