Novo presidente da Santa Casa de Ituverava é empossado

Reunião com membros da Santa Casa e o prefeito Luiz Araújo

Em reunião com membros da Santa Casa e o prefeito Luiz Araújo, Bruno Baldo assinou o termo de posse

O primeiro dia útil de 2021, segunda-feira, 4 de janeiro, foi marcado por uma reunião entre membros da Santa Casa de Ituverava, na residência do presidente do Conselho de Administração e ex-presidente, o empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”), o novo presidente Bruno Baldo Filho e o prefeito Luiz Araújo.
Também prestigiaram no evento a administradora da Santa Casa – Cláudia Maria Carreira Frata, o médico e diretor técnico da instituição – Dr. Gonçalves Dias, o coordenador da ala UTI Covid – Dr. Luiz Monteiro de Barros Neto, a diretora do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Ituverava – Dra. Andréa Ferro Portioli, a diretora do Pronto Socorro da Santa Casa – Dra. Maraisa Miranda de Andrade Lucas, a enfermeira – Andreza Gomes da Silva Nishimoto Maeda, o chefe do almoxarifado – Anderson Durant, o contador – Antônio Carlos Teodoro, o médico ortopedista e traumatologista – Dr. Marco Antônio Migliori e os diretores dos jornais Tribuna de Ituverava – José Luiz Alves Cassiano e O Progresso – Gerson Fontebassi da Silva.
Durante o encontro, foram discutidos assuntos relacionados à administração da Santa Casa, no entanto, a pauta principal foi a assinatura do termo de posse por Bruno Baldo Filho, que o oficializa como novo presidente da Diretoria Executiva.

Presidente Bruno Baldo Filho
“Agradeço a todos por terem confiado em mim para essa desafiante função, mas espero não decepcionar e ter o mesmo sucesso que obtive como tesoureiro, juntamente com toda a equipe. Vou precisar de todos para podermos manter o nível da instituição de saúde, da imprensa, não para me proteger, mas para apontar as falhas e onde devemos melhorar”, destaca.
“Conto com todos aqui presentes, com os corpos clínico e de enfermagem e colaboradores da Santa Casa. Meu lema é ‘eu não ganho eu não perco, e sim, nós ganhamos e nós perdemos’. Obrigado a todos”, completa Bruno Baldo.

Diretor técnico

O diretor técnico da instituição, Dr. Gonçalves Dias, esclareceu sobre os recursos recebidos pela Santa Casa. “Com relação aos R$ 9 milhões que vieram para a Santa Casa via prefeitura, a maioria foi gasta pela prefeitura com folha de pagamento”, observa.
“De acordo com último levantamento feito dia 23 de dezembro, ainda restavam R$ 500 mil e, hoje, primeiro dia útil do ano, não deve restar nada. Esse dinheiro que veio para a prefeitura deveria ser usado, na verdade, para o combate à Covid-19. Agora, vamos tentar fazer uma parceria boa entre a Santa Casa, Prefeitura e Secretaria Municipal da Saúde”, enfatiza.
“As pessoas me perguntam se sou o novo Secretário da Saúde, e respondo que hoje não existe um secretário, e sim uma equipe que vai trabalhar para oferecer uma melhor saúde pública para o município. Vou ser o líder dessa equipe, porém, não sou o secretário e também não gosto desse termo”, explica o Dr. Gonçalves.

Diretoria Executiva 2021/2024

Presidente: Bruno Baldo Filho
Vice-Presidente: Wilson F. Romanini
1° Secretário: Luiz Eduardo de Branco
2° Secretário: César Luiz Mendonça
1° Tesoureiro: Gercino Pistori
2° Tesoureiro: Maurício José Rubira
Diretor Espiritual: Padre Vilmar Volpato
Diretor de Patrimônio: Jorge Maeda

Administradora Cláudia Maria Carreira Frata

Conselho de Administração 2021/2024

Presidente: Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”)
Vice-Presidente: Antônio Pio do Carmo Tosta
Conselheiro: Luiz Carlos Lamaguti
Conselheiro: Luiz Carlos Rodrigues Júnior
Conselheiro: Paulo César da Luz Leão
Conselheiro: Ricardo Chaebub Rodrigues
Conselheiro: João César Matos Alves
Conselheiro: Geraldo Ribeiro
Conselheiro: Orestes Leonel Filho
Conselheiro: Paulo Roberto Machado
Conselheiro: Antônio Sérgio Quadros Barbosa
Conselheiro: Rubens de Paula Andrade

Prefeito Luiz Araújo reforça apoio à Santa Casa

O prefeito Luiz Araújo lamentou o descaso do Poder Público com a Santa Casa e se colocou à disposição para e acordo com a legislação, colaborar com a instituição, em prol da saúde da população ituveravense.
“Em primeiro lugar, conhecemos o trabalho da diretoria da Santa Casa, pois Ituverava é hoje uma referência no combate à Covid-19. Realmente, faz sentido tudo que foi dito pelo Busa e, pois é inadmissível que o dinheiro que veio para a Covid-19 não ter sido repassado à instituição de saúde”, enfatiza.
“A Santa Casa é uma referência regional em saúde. Nós, que estamos à frente da administração da cidade, temos, no mínimo, reconhecer o trabalho desenvolvido pela diretoria, corpos clínicos e de enfermagem e colaboradores”, afirma o prefeito.
“Foi muito bem colocada pelo Busa a observação sobre os outros municípios receberem o mesmo valor em recursos que Ituverava e nem tem a mesma capacidade de atendimento em alta complexidade. Deveria ser proporcional ao número de atendimento, quantidade de leitos e, enfim, a Santa Casa de Ituverava é uma entidade regional, e se não fosse o excelente trabalho desenvolvido pela instituição, talvez a Covid-19 teria feito mais vítimas em Ituverava e região”, diz.

Vamos somar
“Mas agora estou aqui para somar, e reafirmo que quando o município receber novos recursos para esta finalidade vamos repassar imediatamente para a Santa Casa, como os R$ 1,4 mi que a entidade tem direito e que já estão disponíveis”, completa Luiz Araújo.

Ex-presidente faz balanço positivo da sua gestão

O empresário Luiz Carlos Rodrigues (“Busa”)

O presidente do Conselho de Administração Busa, que deixa a presidência da entidade após um excelente trabalho desenvolvido entre 2017 e 2020, fez um balanço positivo da sua gestão e um desabafo sobre os últimos meses de seu mandato.
“Quando assumi a presidência da Santa Casa tínhamos uma promessa do ex-prefeito Walter Gama Terra Júnior sobre a concessão de R$ 100 mil por mês para podermos trabalhar. Entretanto, logo quando assumiu o comado, no mês de janeiro, a última gestora municipal cortou essa verba. Em fevereiro, a família Ribeiro doou 50 mil m² para a Santa Casa e mais 50% do loteamento. Convidamos a prefeita, o vice e vereadores para assinar os documentos para começarmos o projeto da nova Santa Casa. No entanto, os trâmites estão parados há quatro anos, pois nunca tivemos apoio da última prefeita”, afirma.
“A Santa Casa é responsável por manter o atendimento de urgência em Ituverava há cerca de 30 anos, e ficou provado a importância da nossa instituição quando o prefeito da época teve a louca ideia de fechar o Pronto Socorro para tentar ferrar a Santa Casa e foi a pior decisão, pois o que adianta fechar o Pronto Socorro sendo que nenhum local atendia emergência? É bom lembrar que com este trabalho gastamos R$ 400 mil por mês e recebemos apenas R$ 180 mil do município. É uma grande defasagem”, observa Busa.
“Durante os anos que estive à frente da Santa Casa foi muito enriquecedor. Minha equipe fez um ótimo trabalho, a instituição está nova e bem equipada e com um corpo clínico eficiente, porém, a ausência do município é terrível. Inclusive, só recebemos muita pancada e maldade, uma delas veio também da Câmara de Ituverava, em dezembro passado, que votou a favor da reforma do orçamento da prefeita, para que ela pudesse ficar com os R$ 5 milhões que foi desviado da Santa Casa e colocar na prefeitura”, desabafa.

Pandemia

“Trabalhamos muito nesses meses de pandemia, e é de conhecimento de todos que a Santa Casa é um polo de atendimento, onde recebemos pacientes de toda a região. Passamos por épocas horríveis, madrugadas sem dormir, com os médicos sofrendo dia após dia”, diz.
Segundo o empresário, diante da possibilidade de colapso no sistema de saúde, a solução foi recorrer à justiça. “Tivemos que acioná-la, e, dessa forma, conseguimos abrir mais leitos de UTI na região. Em julho, o Estado homologou dez novos leitos de UTI, depois mais cinco leitos. Só que, somente no mês de dezembro que recebemos os dez leitos, e até hoje os outros cinco não foram pagos”, explica.
“Nessa segunda, dia 4 de janeiro, temos nove pacientes na ala Covid, sendo que sete estão na UTI e somente dois deles são de Ituverava, os outros são de municípios da região. Os recursos do governo federal estão sendo distribuídos entre mãos erradas e não para quem está realmente trabalhando, como a nossa Santa Casa”, afirma.
“Outra questão que nos deixa indignado é que, com doze anos de AME, economizamos cerca de R$ 10 milhões e esse dinheiro, juntamente com a nossa verba, foi zerado para os dois próximos dois anos, portanto a Santa Casa começa o ano com déficit. Reduzimos despesas e mostramos eficiência, entretanto, aos invés de reconhecer nosso trabalho, o governo vem cortando ainda mais as verbas”, finaliza Busa.