Pandemia gera aumento da inadimplência em faculdades particulares

IDEB WF MGA1 – MARINGA 17/08/2012 PARANA – ALUNO DO ENSINO MEDIO COLEGIO PLATAO DE MARINGA – WALTER FERNANDES / AGENCIA DE NOTICIAS GAZETA DO POVO MGA-PR

A diminuição da renda dos trabalhadores, o desemprego e as incertezas econômicas durante a pandemia do novo coronavírus atingiram em cheio as universidades particulares brasileiras. Esses fatores levaram ao aumento da inadimplência no setor.

Em maio, 23,9% dos universitários não conseguiram pagar as mensalidades. Esse índice é quase 52% superior ao mesmo período do ano passado. 

Os cursos de graduação presenciais foram os mais atingidos. Apesar da alta inadimplência dos universitários em maio, no mês anterior esse índice foi ainda maior: ficou em 26%.

As informações são de pesquisa realizada pelo Instituto Semesp, entidade que representa as mantenedoras de ensino superior no Brasil. O diretor executivo do órgão, Rodrigo Capelato, detalha os resultados da pesquisa.

Outro dado revelado pelo estudo foi que cerca de 3,6% dos universitários trancaram ou desistiram do curso no mês de maio. 

Em abril, o índice ficou em 2,8%. As instituições pequenas e médias foram as que tiveram o maior aumento de desistências.

As instituições de ensino superior tiveram que se adaptar à nova realidade de educação à distância e a tendência é que esta modalidade de estudo continue, assim que a pandemia passar, com o explica Rodrigo Capelato.

A pesquisa da Semesp foi realizada com 146 instituições de ensino superior de todo o Brasil, de pequeno, médio e grande porte.

Fonte: www.jornaldafranca.com.br