Para presidente do Conselho de Ética, Barroso se precipitou ao mandar afastar Chico Rodrigues

Decisão final sobre o afastamento do senador flagrado com dinheiro na cueca cabe ao Senado

O presidente do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos (DEM-MT), afirmou ao blog nesta sexta-feira (16) que acredita que houve precipitação do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), ao determinar o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR).

O senador tem negado todas as acusações e afirmou que vai provar sua inocência.

“Houve uma precipitação. O inquérito da Polícia Federal sequer foi concluído e o cidadão tem o direito de defesa”, disse Jayme Campos, membro do mesmo partido de Rodrigues.

Chico Rodrigues foi flagrado com R$ 33 mil na cueca durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão pela Polícia Federal, nesta quarta-feira (14).

A medida fez parte de uma investigação de desvios de recursos que deveriam ter ido para o combate ao coronavírus.

A determinação do ministro do STF foi enviada ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e será discutida na Mesa Diretora da Casa. Cabe ao Senado dar a palavra final sobre o afastamento.

O próprio Chico Rodrigues é membro titular da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar. A fala do presidente do colegiado demonstra um descontentamento que se espalhou nesta quinta-feira (15) entre integrantes do Legislativo.

Senadores e deputados demonstraram contrariedade com a decisão monocrática de um ministro do STF para afastar um senador eleito pelo voto popular.

Jayme Campos chegou a lembrar uma decisão anterior do STF, também monocrática, de afastar o então presidente do Congresso, Renan Calheiros. Na época, a determinação do Supremo não foi acatada pela Mesa Diretora do Senado.

Sobre um possível procedimento na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, Campos afirmou que até agora não houve qualquer representação protocolada. Ele disse aguardar a manifestação de outros senadores para levar o tema aos demais integrantes da comissão.

Desde março de 2019 Chico Rodrigues era vice-líder do governo no Senado. Porém, o senador deixou o posto após a repercussão da operação da PF.

Fonte: g1.globo.com