Presidente do Peru abandona o próprio partido

A saída aumenta o isolamento político de Pedro Castillo, que enfrenta denúncias de crimes de patrocínio ilegal e tráfico de influência | Foto: Reprodução/Twitter

O presidente do Peru, Pedro Castillo, deixou na quinta-feira 30, o partido Peru Livre, com o qual venceu as eleições do ano passado. Ele foi acusado pelos líderes partidários de ter promovido uma dissidência interna e implementado um “programa neoliberal”. A legenda passa agora a fazer parte da oposição ao presidente.

Segundo o líder do partido, Vladimir Cerrón, o presidente peruano “não cumpriu com a ideologia” da legenda e, por isso, deveria deixar a sigla. “Foi pedida a saída do cidadão e militante Pedro Castilho não como presidente, mas como militante do partido”.

A saída aumenta o isolamento político de Castillo, que enfrenta denúncias de crimes de patrocínio ilegal e tráfico de influência. O Congresso investiga o presidente e deve recomendar uma acusação constitucional contra ele, o que pode acarretar um pedido de destituição do cargo, que ocupa há 11 meses.

Agora, o partido de esquerda fará parte da oposição ao governo. Cerrón afirmou ainda que o Peru Livre atuará como uma “oposição propositiva”, ao contrário da oposição promovida pelos demais partidos de direita que dominam o Congresso. “Não seremos uma bancada que estará se opondo por se opor”, disse.

Castillo apresentou ao Tribunal Eleitoral Nacional o pedido para sair do partido na quarta-feira 29. Segundo ele, a decisão se deve à sua “responsabilidade como presidente de 33 milhões de peruanos”.

Fonte:revistaoeste.com